domingo, outubro 02, 2005

O Baptizado

"Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram as veias,
Nem o Sol escureceu,
Nem houve estrelas a mais...
Somente,
Esquecida das dores,
A minha mãe agradeceu.

Quando eu nasci,
Não houve nada de novo
Senão eu.

As nuvens não se espantaram,
Não enlouqueceu ninguém...

Para que o dia fosse enorme,
Bastava
Toda a ternura que olhava
Nos olhos de minha mãe..."

(Sebastião da Gama)

1 comentário:

terragel disse...

EU, ESSE POEMA É GENIAL. LINDO, PROFUNDO.
bJS