quarta-feira, dezembro 27, 2006

Do Natal III


[Não temos crianças, mas temos sempre o pai natal]

Jantar de Natal



Feito com tempo

 
[para os amigos] 

Do Natal II

a missa do Galo.

Por momentos, emociono-me com o nascimento de cristo!
Peço perdão por tudo o que fiz de mal.
Peço ajuda para me tornar numa pessoa melhor.
Agradeço tudo o que tenho.
Dou-me conta do quanto sou feliz!

Do Natal

a família toda reunida!

Faz-me pensar que, o melhor presente que posso ter é, ter todos aqueles que mais amo no mundo, junto de mim.

quinta-feira, dezembro 21, 2006

Os

jantares com amigos mudam-me o estado de espírito.
Existem presentes que não se compram, um deles é a verdadeira amizade.

Obrigado pela amizade, espero que ela permaneça sempre viva.

quarta-feira, dezembro 20, 2006

Espírito Natalício

Pai Natal, alto e magro, a brincar com crianças.
Fazem uma roda e cantam:
"Não tenho nada, mas tenho tenho tudo, Sou rica em sonhos mas pobre pobre em Ouro ....
blá blá"

[e o mítio "Olhei para o céu" ou o "A todos um bom Natal"?]

segunda-feira, dezembro 18, 2006

O

almoço de Natal com os amigos "ofereceu-me" uma viagem ao passado, ao som da viola. Revivi os momentos da sangria e chouriça assada, ao som da tuna no cruzeiro, nas madrugadas dos tempos de faculdade.

sexta-feira, dezembro 15, 2006

Deviam

inventar umas botas com calorifico incorporado. Quando estavamos em casa, ligavamos à electricidade, quando estamos fora, funcionava com bateria, comos os telemóveis.

[Os meus pés estão sempre gelados]

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Sou

the project owner/ manager como o meu chefe diz, de um projecto demasiado grande e complexo.
Apesar de me motivar muito, dou conta que passo a maior parte do tempo a desenvolver trabalho burocrático em vez de desenvolver o projecto propriamente dito.

Chego à conclusão que the project owner/ manager é o mesmo que secretária do projecto.

terça-feira, dezembro 12, 2006

Ontem

cruzei-me com o António Fagundes.
Pela primeira vez na vida, pensei em dirigir-me a um "famoso" para lhe dar os parabéns pelo trabalho.
Achei que era melhor não chatear o srº que estava alí para ver os livros, tal como eu.

segunda-feira, dezembro 11, 2006

por casa, a árvore faz-se em família.
Eu, Ele a minha irmã e o irmão dele.

quinta-feira, dezembro 07, 2006

Tenho

um colega que me irrita, muito, muito, muito....

[acho que ele já percebeu!]

terça-feira, dezembro 05, 2006

Fui

ao Dentista.
A cada passo que dava a caminho da clínica, o meu sistema nervoso dava-me um choque.
Estava nervosa, muito nervosa.
O cheiro, senti-o assim a porta do elevador se abriu. Apeteceu-me voltar para trás. (medricas...)
Fui uma valente e dei um passo em frente até à recepção.
Fiz a ficha. Não havia cruz para indicar tratamento especial a quem tem fobia a dentistas.
Ouvi o som a broca! Apeteceu-me sair dali a correr.
Tornei a encher-me de coragem e dei mais uns passos até à sala de espera!
Tinha umas telas nas paredes muito giras, até as fotografei. Naquela altura fiz de tudo para me distratir. Aquela espera é horrível.
A tv, ligada no AXN, mostrava uma novela venuzuelana ou columbiana ou outra nacionalidade qualquer.
Fui chamada finalmente.
O srº de bata branca, mandou-me deitar na cadeira. A cadeira dos horrores....
Antes que ele fizesse algo, avisei-o:
"Só quero que saiba que tenho fobia a dentistas"
ele responde-me
"Eu também"

[e não doeu nada, foi apenas diagnóstico. Dia 09/01, já estou de novo e os nervos já andam à flor da pele...]

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Eramos

14 adultos e uma criança.
Um monte no alentejo, onde a aldeia mais próxima ficava a 11 km. De carro este trajecto era feito em 30 minutos.
Uma casa no monte, sem luz. Muitos quartos.
A barragem lá em baixo. Uma vista fantástica.
Eram duas da manhã e jogavamos todos ás escondidas.

Existem momentos que só vividos se podem descrever com exactidão.
Foi fantástico.

quinta-feira, novembro 30, 2006

Queria

ter uma varinha de condão, ou poderes mágicos para poder acabar com esse teu sofrimento.
A vida dá-nos a possibilidade de [re]nascer quando assim o decidimos.
Um [re]nascimento é sempre positivo, é sempre o iníco de algo novo.
[re]nascer têm a vantagem de pudermos melhorar nesta fase o que correu mal na anterior.
Nem todas as pessoas podem renascer, só as que são livres.
Em tudo isto, o que é bom, é que és livre, e decidiste [re]nascer. Agora só tens de aproveitar o sol que a vida te oferece diáriamente.
Acredito que ainda te vou ver voar muito alto e estarei sempre a teu lado em cada subida e descida.

[Um beijo do tamanho do mundo para ti. Sabes que és muito importante para mim, não sabes? ]

quarta-feira, novembro 29, 2006

Faço o jogo

DESCREVE-ME
Descreve-me numa só palavra. (Apenas uma)
Manda a palavra para mim, somente para mim.
Depois, manda esta mensagem para os teus amigos e vê como é estranho e interessante saberes o que as pessoas pensam a teu respeito.
No mínimo um jogo curioso.
O jogo começa agora.
Obs: Não é tão fácil como pensas!


Para já em 7 respostas, os resultados são:
Amiga x4
Espetacular
Doce
Equilibrada

[ainda espero pelas restantes descrições]

segunda-feira, novembro 27, 2006

Um

fim de semana cheio.
Sábado passado com os amigos
Domingo com a famíia.

[todos os bocadinhos muito bem aproveitados]

sexta-feira, novembro 24, 2006

A

hidroginástica até estava a correr bem... não fosse aquela cãibra no pé!
A professora mandou-me encostar à parede da piscina, colocou as mãos nas minhas axilas e puxou-me "borda" fora. (borda, palavra bonita.....)
Puxou-me sem qualquer tipo de esforço, como se tivesse a puxar uma coisa muito leve.
Eu, enqunto me sentia puxada pensei "uoooooohhhhhhhhhhh" e o resto dos alunos devem ter pensado o mesmo, pois fizeram "aquela" cara de espanto.
Os útimos 10 minutos de aulas foram passados sentada numa cadeira com a perna esticada debaixo do chuveiro com água bem quente. (para o músculo relaxar)

Já em casa, o encontro com amigos dos quais já tinha saudades, soube mesmo bem!
Amanhã há outro encontro com outros amigos!

[E enquanto tenho estes momentos relaxantes e bons, a vida passa.... depressa demais! Quero saborear tudo com mais calma...]

quarta-feira, novembro 22, 2006

Está quase















(Foto: maqueta da minha futura casa. Não me lembro da escala!)

Telefono

para o meu dentista.
A última vez que lá estive foi há 4 anos atrás (tenho fobia, muita fobia mesmo).
Atende-me uma brasileira. Da última vez, a recepcionista era portuguesa.
Faço umas quantas questões, e pede-me um contacto para me ligar depois.
- Qual é o seu nome?
- M.
- AHHH Dona M. já me estou lembrando de si!

[ah?... lembra-se de mim?]

terça-feira, novembro 21, 2006

Eramos

8. Jantar servido em casa de uma.
Folhado de queijo da serra com compota, bacalhau no forno e muitas sobremessas.
Muita conversa. Muitas questões, poucas respostas e muitas opiniões.
Muito bom! a repetir.

sexta-feira, novembro 17, 2006

Ontem



[LINDO! LINDO! LINDO!]

quinta-feira, novembro 16, 2006

Estava

deitada numa cama de metal, num quarto enorme. Tinha as paredes todas brancas, uma delas, a parede à minha frente, tinha um relógio pendurado. Não me lembro das horas. Nesse quarto existiam muitas camas, todas elas vazias. Estava sozinha e tinha frio.
Ouço barulho! Estavam a entrar pessoas no quarto, todos vestidos de branco, com toucas e batas brancas. Percebi que estava num hospital. Olho para mim, e vejo que tenho uma barriga enorme. Estava grávida! Aquelas pessoas das batas brancas pedem-me para fazer força! Faço! Sem uma única dor, sou mãe e choro quando vejo o meu filho. Era um rapaz!
Desaparecem todos, de repente já não estou naquela sala fria, mas numa outra, bem mais acolhedora. A sala é em tons de castanho e verde, tem muitas camas, mas continuo sozinha. Estou deitada e ao meu lado está o meu filho. Observo-o e ele a mim. Tem a testa enrugada, nota-se que está cansado. Adormece assim, a olhar para mim. Continuo a observa-lo, tento decorar-lhe os traços do rosto, ele é lindo, fecho os olhos e é a vez de lhe decorar o cheiro. Adormeço.


30 minutos antes do despertador tocar, acordo no meu quarto, e olho na direcção dele. Não está! Procuro com a mão. Não está! Sento-me na cama e olho para o lado e o H. dorme profundamente. Sinto-me baralhada, angustiada, onde está o meu filho?!.
Percebo que foi um sonho!
Tento dormir mas não consigo.

quarta-feira, novembro 15, 2006

Actualidade

Suicídio superior nos homens portugueses
.... "Não se coloca a hipótese de os homens serem o sexo fraco, porque, na realidade, são mesmo" Conclui um médico especialista em Geriatria em Houston, Robert Tan....

in Destak

terça-feira, novembro 14, 2006

A

minha avó fez 82 aninhos. E como ela sempre faz questão, fomos comemorar o seu aniversário.
Ao jantar, a tv estava ligada e estava a dar uma novela. Pelo que parece nesta novela o tema swing é abordado.
- Esses fazem swing... (diz o meu pai)
- Pois fazem... (foi a vez da minha mãe)
- Mãe! Tu sabes o que é swing?
- Sei...
- Então diz lá o que é!
- Tu não queres que eu te diga aqui, pois não?!?!?!
- Quero
Ouve-se a minha avó do fundo da mesa:
- Ohhhh pá! Tu não vês que é troca de par....

Fez-se silêncio...olhamos em direcção da aniversariante e desatamos todos a rir...
Afinal a minha avó, com 82 aninhos, anda bem informada.

segunda-feira, novembro 13, 2006

um ano atrás, pegavamos nas mochilas e partiamos para a viagem, que até hoje, foi a viagem das nossas vidas.

[A patagónia é linda, linda, linda]

sexta-feira, novembro 10, 2006

Gosto

da sensação de dormência com que saio das aulas de hidroginástica. É como se tivesse fumado um charro, (segundo a descrição do que é fumar um charro de algumas pessoas, porque da única vez que fumei um charro, vomitei tudo o que tinha e não tinha no estômago e adormeci que nem uma pedra)
Gosto de sentir a leveza do meu corpo, não leveza em Kg, mas em stress, preocupações, problemas… é como se alguém tivesse passado uma borracha nisto tudo.
Chego a casa serenamente e feliz.

quarta-feira, novembro 08, 2006

Com

a intensidade que as minhas aulas de hidroginástica alcançaram, se eu tiver "gordorinhas" elas vão transformar-se em músculo. Ai vão, vão...

terça-feira, novembro 07, 2006

A

Greve do metro obrigou-me a sair de casa 15 minutos mais cedo. E fez-me chegar 1 hora mais tarde ao escritório.

[quando é que isto acaba?]

segunda-feira, novembro 06, 2006

Ontem

uma pessoa que não me vê há muito tempo, acha que estou mais engraçada e pergunta-me:
- Tu estás mais gorda não estás?
(esta pergunta para mim é um elogio)
- Não, pelo menos a roupa é a mesma
- ahh já sei o que é. São os trinta anos!

Sorri! Por estranho que pareça, a proximidade com os trinta não me está a afectar negativamente. Não me sinto velha ou "cota". Sinto-me bem! Sinto que cheguei a uma altura da vida em que percebo finalmente, o que é realmente importante. Em que começo a perceber que o amor que sinto pela minha familia e amigos é infinito. E o medo de os perder é enorme. Quero aproveitar todos os momentos que a vida me oferece tranquilamente. Nunca fui tão feliz como agora!

sexta-feira, novembro 03, 2006

[nota explicativa]

acho que gerei um mal entendido.
Em relação a este post
Não fui eu que me casei, foi um primo do maridão.
Eu já casei há mais tempo como já contei aqui
Mas obrigado na mesma, pelos votos de felicidade.

Tive

a minha primeira aula de hidroginástica da época.
Fiz 8 piscinas e na segunda já estava a morrer.
Trabalhamos os músculos (dentro de água) com alteres. uiiii Os altteres nas mãos tinham de descer, sempre de braços esticados, até baterem um no outro, por baixo das pernas que entretanto subiam. De cada vez que os alteres desciam eu esperava ver o meu corpo sair disparado de dentro da piscina, tal era a força que sentia na água a elevar-me.
A melhor parte é sempre a dos alongamentos. Música muito calma e exercícios de relaxamento dos músculos... Esta parte é de tal forma boa, que quando olhamos, as outras classes de natação, pararam a aula e fizeram os alongamentos connosco.

Saí de lá nova, fresca e revitalizada.

quinta-feira, novembro 02, 2006

Cortei

o cabelo.
Quando chego a casa, espero uma reacção dele. Ele vê-me e diz:
- AHHHH estava a ver que nunca mais cortavas o cabelo.
momentos mais tarde eu pergunto:
- Mas gostas ou não?
- Se estivesses vestida com uma cor viva ficava-te melhor.
Já à noite antes de nos deitarmos diz:
- Para a próxima, tens de fazer o outro corte (um mais curto) acho que te ia ficar melhor.

[será impressão minha ou ele não gostou muito?]

terça-feira, outubro 31, 2006

Quando

há uma reuião familiar como a do fim de semana, existem frases que já não posso ouvir:
- Estás tão magra!
- Estás mais magra!
- Quando é que engordas?
- Então, quando é que mandam vir um menino?

[bolas... mudem lá de disco]

segunda-feira, outubro 30, 2006

O

casamento correu bem.
Não houve vestido de noiva nem fotografo profissional, mas houve boquet e menino das alianças. Não houve igreja nem quinta mas houve bolo cortado na rua com fogo de artíficio.
Houve coro com emocionantes canções, houve declarações de amor e muitas lágrimas de emoção.
Foi simples, mas muito bonito.

A família do meu marido, que agora é minha também, é extraordinária. Consegue transformar acontecimentos simples em algo de mágico e inesquecível.

sexta-feira, outubro 27, 2006

Passo

o dia com o cliente. Entre análise à aplicação, indumentária a rigor, saltos altos, (uiiii os saltos), almoço de negócios num restaurante fino e conversa de ocasião nem tempo tive para ir ao wc. Fiquei inchada depois de tudo o que comi.

Com o casamento no fim de semana, ontem foi dia de ensaio. Em dois dias temos 4 canções novas e coreografia para aprender. Estes momentos são sempre revitalizantes. Limpam-me a alma, esqueço o stress, acalma-me.
Não canto nada, nem sequer tenho voz, mas nestes momentos depois de muito bem ensaiado, até me soa bem.
Cheguei a casa à 1h da manhã, cansada, mas feliz.

quarta-feira, outubro 25, 2006

Estou

numa fase "Coquete"

coquete

do Fr. coquette
adj. e s. 2 gén.,
pessoa garrida;
galante;
mulher pretensiosa, namoradeira.


OK! depois de ver o significado, mudo de adjectivo.
Ando numa fase "Clássica".
Calça vincada, camisa e botas de salto.
Isto porque com esta chuva, o único calçado que não deixa entrar água, são as minhas botas de salto.

[Tenho saudades dos meus tenis]

terça-feira, outubro 24, 2006

Fomos

almoçar a casa dos meus pais.
Durante o almço falavamos do que faziamos se nos saísse o euromilhões.
A minha mãe achava que bastava fazer 5 casas e comprar 4 carros para espatifar o dinheiro todo.
No meio de tudo isto a minha mãe ainda ajudava a associação de pessoas com sida.
- ahh a Abraço! (digo eu)
- O braço??? o que eu tenho no braço não é sida! (Responde prontamente a minha mãe)

[Risota geral... isto porque há uns dias a minha mãe descobriu um quisto sebáceo no braço]

segunda-feira, outubro 23, 2006

Desespero Masculino

Pictionary, em mímica, homens vs mulheres.
Após 3 vitórias consecutivas das mulheres em três jogos, a equipa masculina diz:
- Só mais um jogo e quem ganhar este ganha todos!

[Em 4 jogos, 4 vitórias femininas]

Por

um dia, fui a preferida da pequena I.
E soube-me tão bem!

quinta-feira, outubro 19, 2006

Gosto

dos Corsários, porque não tenho de me preocupar com as bainhas.

Bainha
do Lat. vagina

s. f.,
estojo em que se mete a folha de qualquer arma branca;
dobra que se cose na orla do tecido;
vagem de legume;
prolongamento do pecíolo em volta do caule;

Alentejo,
(no pl. ) doce de grão de bico que se envolve numa capa de massa.



[Tenho um problema entre a minha mãe e as bainhas das minhas calças]

quarta-feira, outubro 18, 2006

A

falta de luz mandou-me para a cama mais cedo.
Adormeço abraçada a ele e ele a mim, à luz dos relâmpagos e ao som dos trovões e da chuva a bater com força nas janelas.

[E soube tão bem]

terça-feira, outubro 17, 2006

Comprei

umas botas, com a ponta em bico. Aquele tipo que custumo chamar "mata baratas nos cantos da casa".
Têm salto fino, mas baixo.
Nunca tive umas botas assim. Nunca me dei bem com saltos finos.
Ontem usei-as. E quem me visse, pensava que eu devia ser coxa. É que estes saltos finos, embora baixos, passam a vida a enfiarem-se nos buracos da calçada.

[e esta cidade que nem têm calçada quase nenhuma...]

segunda-feira, outubro 16, 2006

No Restaurante (II)

Pedimos sobremessa, todas [quase] diferentes.
Enquanto comia a sua, a minha mãe diz:
- Bem boa, é de Argila e noz!

Foi a gargalhada geral!

[Era doce de Gila e noz]

No Restaurante

- Desculpe, mas querem que espinhe o peixe?
- (espi o quê?) Desculpe?
- Querem que espinhe o peixe?
- E o que é isso?
- É tirar as espinhas.
(espanto! não faziamos ideia que isso existia)
- Não, deixe estar! Somos saloios (responde prontamente o meu pai)

sexta-feira, outubro 13, 2006

Gostava

tanto de ter uma destas...

quinta-feira, outubro 12, 2006

Ficou pronta














Está um bocadinho atrasada, e agora vai ser prenda de natal, porque a criança já tem 3 meses...

[para a lagarta da couve...]

quarta-feira, outubro 11, 2006

Das mini-férias (II)

Descobrimos um restaurante que servia rodízio de pizzas e massas.
Fomos lá!
Aquilo tinha 52 varidades de pizza e não sei quantas de massa.
Tinhamos pizzas doces e pizzas salgadas...
Tinhamos pizza de batata frita, de puré, de alho (ahhhh a de alho), de salada russa, de cogumelos, de atum, de salame italiano, de fiambre,... de chocolate branco, de chocolate preto, de morango (ahhhhh a de morango), de maçã com canela, de ananás e canela, de arroz doce, de pudim, de mousse de chocolate...
enfim muitas.
Saímos de lá a rebentar pelas costuras, mais uma fatia e eu vomitava... tinha uma barriga de grávida de 3 meses (o que para mim já é muito)
Tivemos de ir fazer uma caminhada para "desmoer" a comida.
Frase mais usada : "Não posso ver pizza à minha frente."
Dois dias depois, lá estavamos nós outra vez, no mesmo restaurante a comer as mesmas variades de pizza.

[No último dia, só de morango, comi 4 fatias]

terça-feira, outubro 10, 2006

Das mini-férias

A T. e o B. compraram uma balança toda xpto.
Resolvemos ir experimenta-la.
Quando me coloquei em cima dela, o visor, acusou 48 Kg.
Ao qual eu respondi que era impossível.(o meu peso varia entre os 49 e 52, e acho que estou mais gorda)
Depois de lerem melhor as instruções, verificaram que afinal, aquilo não estava a funcionar correctamente, porque tinhamos que inserir a idade, sexo e altura.
- ahhhhhhhhhh , disse a bom som....
Intruduzimos os dados todos e voltamo-nos a pesar.
Coloquei-me novamente na balança e o visor mostra-me: 47,8 Kg.

[Não compreendi... eu não me acho assim tãaaaooooo magra]

segunda-feira, outubro 09, 2006

Eramos

9 adultos e pareciamos 9 crianças, aqui:







[E no dia seguinte, ainda sentíamos a magia]

quarta-feira, outubro 04, 2006

Tenho

novos colegas de trabalho. Um deles, alemão, pergunta-me:
"Quantos anos tens?"
"muitos"
"Vá lá, diz lá!"
"29"
" ?!?!? a sério? pareces mais nova"

[fiquei inchada e tiveram de me limpar a baba]

terça-feira, outubro 03, 2006

Fizemos

o jogo da agulha.
Eu vou ter duas filhas.
Ele vai ter duas filhas [e um filho].

[Qual será a C**** que vai ter um filho com o meu marido???]

segunda-feira, outubro 02, 2006

Das Vindimas














Reunião familiar. Muitas gargalhadas.

[pensamento (meu) recorrente: Para o ano usar repelente]

sexta-feira, setembro 29, 2006

Coisas boas

viajar a dois.

[ai que saudades da Patagónia...]

quinta-feira, setembro 28, 2006

Gostava

de saber, quem é que escolheu aquele corte de cabelo que a Floribela usa...

[que mau gosto... coitadinhas das crianças que assistem aquilo]

quarta-feira, setembro 27, 2006

Estreia

"O misterioso colega que falta no seu segundo dia de trabalho"

[Estamos cheios de trabalho, e no primeiro dia de um novo colega, ele teve de ficar até mais tarde, tal como todos os outros. No seu 2º dia, não apareceu... alegou como causa, a greve do metro.
Começamos bem!!!]

terça-feira, setembro 26, 2006

Tenho

uma conta no banco desde os meus tempos de faculdade.
A determinada altura, deixei de a usar, no entanto, sempre depositei dinheiro nela.
Ontem, mais uma vez, dirigi-me ao balcão para depositar um cheque que recebi no meu aniversário e, lembrei-me de pedir um cartão multibanco para poder usar novamente a conta.
Do que eu me fui lembrar...
Para depositar lá dinheiro, nunca foi necessário nada de extraordinário, apenas o cheque e/ou dinheiro para depositar e o nº de conta.
Para poder ter um simples cartão...ui... tenho de comprovar a minha morada, tenho de comprovar a minha profissão?!?!?! tenho de apresentar um recibo de vencimento !?!??!?!
Mas, agora só se pode ter conta bancária se se trabalhar? E quem é estudante? E as domésticas? E para que é que eles necessitam de saber quanto é que eu ganho por mês?
Parece-me absurdo! Apetece-me chegar lá e levantar todo o meu dinheiro, mas até para isso eu tenho de pagar??!?!?!

segunda-feira, setembro 25, 2006

Restaurante

fino, é aquele que, se tens o carro longe e está a chover, o dono, vai buscar o seu carro e dá-te boleia até ao teu.

[e eu toda envergonhada...]

sexta-feira, setembro 22, 2006

Tenho

uma amiga que é joalheira. Faz peças lindíssimas, das quais algumas já habitam em minha casa.
Finalmente, ela colocou o portofólio on-line.
Para quem quiser, o blog é http://osotaodacarolina.blogspot.com/. O portofólio está num link do lado direito, mas, para os mais distraídos, aqui vai o link directo http://www.flickr.com/photos/68621718@N00/show/

Parabéns C. pelo trabalho magnífico

quinta-feira, setembro 21, 2006

O

dia não começou bem!
Mal pus o pé fora de casa, fiquei encharcada!
Apanhei um trânsito infernal e perdi a conta aos acidentes.
Apanhei o metro em greve e tive de apanhar o autocarro que o metropolitano meteu à disposição dos utentes. O autocarro que apanhei, bateu noutro carro.
Quando cheguei à paragem mais próxima, da minha habitual saída do metro, a 2km de distância, começou a chover torrencialmente... estou um pinto!

Queria dar um conselho aos senhores que decidiram parar com a circulação dos combios do metropoliatano de lisboa. Em vez de pararem com a criculação, porque é que não fecham as bilheteiras no início do mês, desligam as máquinas dos bilhetes, abrem os torniquetes e os fiscais não fiscalizam nada? Aposto que sem o dinheiro dos bilhetes, passes e multas a direcção da empresa resolveria logo o vosso problema!

quarta-feira, setembro 20, 2006

Soduku

Estive com um a moer-me a cabeça durante dois dias.
Ontem na hora de almoço, finalmente, consegui termina-lo.
Tive uma reunião logo de seguida. Eramos 4.
Consegui alinhar as 3 pessoas da reunião como se fossem números, coloquei-os na grelha do jogo e por mais incrível que pareça, consegui completar a grelha com alguns números.
Depois, devolvia-me a realidade da reunião. Mas, quando menos esperava, lá estavam eles, todos alinhados dentro da grelha.

Será que me viciei?

[Aconteceu-me algo semelhante, há uns anos atrás, na altura que jogava tetris no gameboy]

segunda-feira, setembro 18, 2006

Gosto de Pérolas



E gosto delas grandes! E gosto de aneis! E gosto deles grandes!
E gosto de tudo muito simples!
E o maridão sabe!

[anel elaborado pela amiga C. que é joalheira]

Os primeiros materiais já chegaram



[presente oferecido pelos meus sogros]

Pela

última vez, fiz aniversário com um 2 como o primeiro algarismo.
Festejei até de manhã!

[obrigado a todos os que contribuiram para que este dia fosse tão maravilhoso]

sexta-feira, setembro 15, 2006

Depois

de 10 meses, a câmara Municipal, onde o projecto da minha futura casa está, diz:
"O Projecto de arquitectura foi aprovado"

[e, apesar deste tempo todo, eu dou pulos de contentamento]

quinta-feira, setembro 14, 2006

Ao

telefone com a minha mãe:
- Olha lá, a tua casa, vai ter aquecimento central, ou é "aquilo" que também dá para o frio? (pergunta a minha mãe)
- Nem uma coisa nem outra.
- Então? Não vais por nada?!!?!?
- Vou! Piso radiante.
- Ah, pois, só para o calor.
- Sim..., mas porquê?
- Por nada.
- Por nada, não! Então ligas-me, a primeira coisa que perguntas é isto e depois dizes que é por nada?!
- Sim! não é por nada!
- Mau! Diz lá o que foi...
- ...ah... é que como não tens nada para arrefecer, e como ainda tenho de te comprar uma prenda, pensei numa ventoinha!
- O QUÊ?!?!?!?!??!

[Desatei a rir e não conseguia parar. Só a minha mãe, se lembraria de me oferecer uma ventoinha como presente de aniversário... Claro que a proibi de comprar]

quarta-feira, setembro 13, 2006

Estava

a fazer umas experiências com o jantar!
Novas receitas, mais uns ingredientes, menos outros...
Estava mesmo concentrada, a fazer um molho de espargos e camarão, quando ouço BERROS vindos da sala.
Dei um pulo e por pouco o tacho com o molho não foi parar ao chão.
Depois do tacho bem agarado e colocado novamente no fogão, corro para a sala.
Era o maridão eufórico com o Golo que o Caneira marcou pelo Sporting.

[estava feliz, e eu, apesar do susto, também]

terça-feira, setembro 12, 2006

dormia, quando o som de mensagem apitou no meu telemóvel.
Era 1h30m da manhã.
Por momentos ainda pensei que fosse o despertador. [Já!?!?!?]
Mas não era!
Quando percebi que era uma mensagem, não tive coragem para me levantar da cama e ir ver o que dizia. [Amanhã logo vejo]

E hoje de manhã, fui finalmente lê-la. De quem era, não sei, não conheci o número. Dizia apenas: "Olá"

[Ou foi engano, ou tenho alguém a gozar comigo]

segunda-feira, setembro 11, 2006

Saio

do metro e encontro um conjunto de policias.
Subo as escadas da estação, encontro outro conjunto de policias.
Saio da estação e mais um conjunto de polícias.
Penso um bocadinho e percebo porquê.
O 11 de Setembro foi há 5 anos.

sexta-feira, setembro 08, 2006

23 anos atrás, um mês antes da data prevista, nascia uma das mulheres que mais amo no Mundo.

[Parabéns Maninha, tenho muito orgulho em ti]

quinta-feira, setembro 07, 2006

Chego

a casa e o maridão não está.
Coisa estranha!
Telefona-me e diz que está na Praia.
Pelo segundo dia consecutivo, um ídolo seu está a surfar na "sua" praia.
Pois é, o Eddie Vedder estava na praia onde o maridão nasceu.
Estava eufórico, tirou imensas fotos, têm autógrafos, falou com ele e até lhe ofereceu um presente. No fim o Edie abraçou-o, o que o deixou sem palavras. Até a foto da filha de dois anos ele lhe mostrou.

Enfim, ontem tinha um maridão nas núvens e muito feliz.

[gosto de o ver assim!]

Adoro

animais.
Ontem, fomos jantar a casa de uns tios do Gu.
Aí, soubemos que tinham chegado dois cachorros, netos da cadela deles, e que eram para oferecer.
Saí, em direcção ao Canil para os conhecer. Como não os encontrei, decidi procura-los pelo pátio.
Encontrei-os muito aconchegados um ao outro, junto a alguns vasos de flores.
Quando os vi, nem hesitei, corri para eles e como não consegui escolher um dos dois, peguei em ambos. Sito um ardor estranho, mas nem percebi o que era.
Entretanto chegaram os tios e primos do Gu e o Gu também.
Começamos a ver os bichinhos, quando reparo, tenho os joelhos e mãos coberta de picos.
Conclusão: Os cães estavam ao lado de vasos de Catos... e eu hoje, ainda tenho um joelho com picos porque não os consigo tirar.

[Mas os bichinhos eram tão bonitos... que pena que eu ainda não posso ter animais em casa]

terça-feira, setembro 05, 2006

Não

gosto de ver pessoas de quem gosto, sofrerem por amor, ou por outra razão qualquer.
Quem sofre de amor, pensa com o coração.
Quem está de fora, pensa com a cabeça, racionalmente.
Penso sinceramente que foi[é] melhor assim. Racionalmente, tenho quase a certeza, todos à volta têm.
Todos, menos os protagonistas principais desta história de [des]amor.
Por mais que eu diga que vai passar e que o tempo é um bom remédio, para quem vive na pele, é demasiado doloroso e quase impossível de acreditar nisso.

[No fundo é melhor assim, e vai passar, vais ver!]

segunda-feira, setembro 04, 2006

Na praia

Eu, o maridão e os manos, a minha e o dele.
Palhota, esperguiçadeira para cada um e um corta vento novo, que ainda tentamos comprar, mas não estava à venda.
Bolachas, sumos e batidos à borla. [tenho a despensa cheia de bolachas]
Duas freiras na praia.
"olha... o que estão a dar" - pergunta a minha irmã
"viagens à europa, querem participar? " - Diz a freira
" O que temos de fazer?" - respondemos em coro
" Bom, tem de ser 4, ter cartão tmn e têm de enviar 400 mms"
" Somos 4, já! e todos temos cartões tmn... os 400 mms é que já é puxadote"
" por ser verão, oferecemos 100 e pelo facto de estarem nesta praia, oferecemos mais 100"

Começamos com 200 passado uma semana já tinhamos as 400.
"Parabéns Grupo txxxx acabaram de ganhar uma viagem a um destinho europeu" disse a tmn ás 3h da manhã de 5ª feira passada!

Agora é só escolher o destino!

[Amesterdão, Barcelona, Basileia, Bilbau, Bolonha, Bruxelas, Colónoa, Copenhaga, Dublin, Estugarda, Genebra, Londres, Madrid, Málaga, Milão, Munique, Palma de Maiorca, Paris, Valência ou Zurique, um destes... aqui vamos nós]

Volto

fortalecida, mais morena e com tanto para contar!

terça-feira, agosto 22, 2006

Arrumei

as camisas. Meti a uso os tops.
Vou para a praia.

quarta-feira, agosto 16, 2006

Lembro-me

tão bem do dia em que nos conhecemos. Das palavras [todas]. Dos gestos.
Lembro-me do dia seguinte. Da conversa.
Lembro-me dos anos seguintes. Dos momentos.
Lembro-me te ter pensado que serias um amigo para a vida. Nunca me lembrei que fosses o homem da minha vida, até ao dia em que te beijei.

[e hoje, já te disse que te amo?]

segunda-feira, agosto 14, 2006

fim de semana: Praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia, praia e ainda praia.

[Não fiz nada! Foi bom]

sexta-feira, agosto 11, 2006

Existem

coisas que são de higiene intima, que devem ser feitas em casa diáriamente, mensalmente ou anualmente, tudo depende da pessoa. Claro que esta, é a minha opinião, e não é com certeza, a do srº que ia hoje 2 bancos à minha frente no autocarro. O srº estava a provocar uma chuva de meteoritos, e as pessoas em volta, se quisessem claro, teriam de se desviar. O Srº em questão, estava a cortar as unhas com um corta unhas, o que fazia dispará-las em qualquer direcção.

[Curiosamente, é a 2ª pessoa que vejo a fazer isso dentro do mesmo autocarro]

quarta-feira, agosto 09, 2006

Faço

sopa. Não provei.
Olho para ela e acho que falta algo, mas não sei o quê.
A sopa acabada de fazer está quente demais para ser comida ao jantar.
Fica para o almoço.
EU e o Gu trazemos sopa para o nosso almoço de hoje.
Ainda, antes de almoçar, lembro-me... esqueci-me do Azeite.
Deve estar mesmo boa!

[ai cabecinha, cabecinha]

terça-feira, agosto 08, 2006

Do casamento

O noivo, na igreja, sobe ao púlpito e faz-lhe uma das mais belas declarações de amor.
A noiva chora, assim como a maior parte dos convidados.
De seguida é a vez do pai do noivo, ler um texto sobre a vida, os Noivos choram, assim como a maior parte dos convidados.
Olho para o Gu, está a chorar, não o consigo ver chorar sem chorar também...

Os resto da festa foi animado com surpresas e mais surpresas para os noivos...
Foram dois dias emocionantes, onde rimos, choramos, abraçamo-nos, onde os sentimentos bonitos andaram sempre à flor da pele, por cada palavra, mais uma lágrima.
Foi bonito.

segunda-feira, agosto 07, 2006

Existem

homens e existem ratos. Os Homens, são corajosos e assinam todos os seus feitos, mesmo que alguns deles choquem os outros. Os ratos [peço desde já desculpa ao Animal] escondem-se por detrás de um "anonimo".

[post dedicado ao anonimo que comentou este meu post]

sexta-feira, agosto 04, 2006

Diz

a tradição, que a noiva deve levar uma coisa nova e uma usada, uma coisa azul e outra emprestada.
Quando casei, a coisa emprestada que levei, pertencia a uma amiga do Coração, amiga com um A grande.
Quando a minha amiga C. casou, fiz questão de lhe emprestar também uma coisa.
Amanhã a noiva também vai levar uma coisa minha emprestada.

Ela envia-me uma mensagem " Ainda bem que o que levo emprestado é teu, sinto-me muito honrada por isso"

Minha querida, EU é que me sinto honrada!
Honrada por ter a possibilidade de partilhar ctg este dia, e os outros que virão e os outros que já passaram... Eu é que me sinto honrada por fazer parte da tua [vossa] vida.
Só espero, do fundo do meu coração que sejam muito felzes!
Só espero, poder estar sempre lá, quando necessitarem e quando festejarem.

[Sinto-me tão feliz, por ver os meus amigos felizes]

O

noivo é primo direito do Gu. Senão o preferido um dos perferidos. Senão o melhor um dos melhores amigos.
Conheci a noiva enquanto [ainda] amiga do Gu. A nossa relação a 4 foi crescendo e amadureceu.
Somos procurados na busca de uma opinião, um conselho, um problema. E isso faz-nos sentir bem. Faz-nos sentir privilegiados.
Para nós, é um privilégio ajudar os amigos, nos bons e maus momentos.
A noiva, de todas as pessoas que a rodeiam, escolheu-me a mim para a ajudar a vestir.
E eu sinto-me uma privilegiada, fui a escolhida.

[Parabéns meus queridos. Que a felicidade esteja sempre presente na vossa união. Um brinde ao amor!]

quinta-feira, agosto 03, 2006

"As

mulheres já nascem com inteligência; os homens precisam aprende-la em livros "

(Rei Shudraka, sec. I)

quarta-feira, agosto 02, 2006

Preparamos

uma surpresa para os noivos. Enquanto, procuro musicas, e as ouço, emociono-me e choro.

Os

ensaios para o meu casamento, são momentos que guardo com grande nostagia no meu coração.
A familia [dele que agora é minha também] reunia-se toda, vinham as violas, os orgãos, as vozes líricas, os tenores, e as outras...
Para mim, era sempre uma festa. E a cada canção ensaiada era uma emoção de arrepiar e muitas vezes tinha de fazer um [grande] esforço para não começar a chorar.
No dia do meu casamento, em frente ao altar ao lado dele, sabia tudo de cor, cantei tudo sem me esqueçer de nada e até dançei.
Ontem, tivemos um ensaio, um primo vai casar.
Ontem revivi, todos aqueles ensaios.
Ontem cantei e dançei.
Ontem emocionei-me, mas não chorei.

Ontem em conversa, alguém me diz: "Nunca vi, uma noiva, tão descontraida e feliz no altar como tu!
"Estava Feliz" respondo (e hoje, ainda o estou)

segunda-feira, julho 31, 2006

Sábado

à noite, 1h30m da manhã.
Caça ao tesouro em plena Serra de Sintra.

Noite escura, muito nevoeiro, muito mato e pedras, muitos palácios e castelos...
Foi LINDO!

Pena foi o esforço físico, que foi em demasia.

Uma

despedida de solteira para mim, claro, define-se como, a reunião da futura noiva com um conjunto de amigas.

[Se a dada altura da noite, numa despedida de solteiro(a), os amigos do noivo se reunem com as amigas da noiva, porque todos vão fazer uma actividade, e se por acaso alguns dos amigos do noivo têm as mulheres ou namoradas do lado das amigas da noiva, isso é pura coincidência]

Ou será que uma rapariga deve convidar para a sua despedida de solteira as namoradas e mulheres dos amigos do namorado?

sexta-feira, julho 28, 2006

O

meu cansaço de hoje contrasta com a minha euforia de ontem.
dormi 4 horas, porque o Pedro Abrunhosa não me deixou dormir mais!

Valeu a pena... valeu mesmo!
Grande Concerto! Grande Pedro!

quinta-feira, julho 27, 2006

Vivo

numa vila nos arredores de Lisboa. Têm um imponente monumento, belos jardins e parques. Da janela do meu quarto vejo o mar ao longe, e o futebol ao perto.
É bastante evoluída, onde já podemos encontrar de tudo, com exposições, teatro e cinema, muito trânsito, auto estrada à porta, etc. etc.
Ontem, enquanto estendia a roupa à janela da cozinha, desatei a rir à gargalhada, quando percebi que lá em baixo, mesmo encostadas ao prédio, existiam duas VACAS a pastar... completamente à solta.
[Existem momentos, em que a vila onde vivo me parece uma cidade, outros uma aldeia]

quarta-feira, julho 26, 2006

Há 3 anos



Fizemos promessas de amor enterno.
Hoje, mantenho cada uma delas.
Obrigado por estes anos maravilhosos.












[E hoje, já te disse que te amo?]

terça-feira, julho 25, 2006

[Ainda] Do casamento (XI)

A banda diz ao microfone:
"E agora um rock"
Na mesa todos gritamos:
"Xutos"
A banda começa a tocar..."Apita o combio"

segunda-feira, julho 24, 2006

Do Casamento (X)

O Gu faz-me as mais belas declarações de Amor e eu gosto.

Do casamento (IX)

O Gu, quando bebe, fica sentimental. No caminho para casa, resolve telefonar aos seus melhores amigos e dizer-lhes que gosta muito deles. Enquanto fala com eles, chora… Eu emocionada, faço um esforço para continuar a conduzir o carro e rio-me à gargalhada.

Do casamento (VIII)

O Gu agarra-se ao noivo e dizem que melhor que eles dois não há.
Isto porque nesse mesmo dia, descobriram que nasceram exactamente no mesmo sítio.

Do casamento (VII)

Para [não] variar somos os últimos a abandonar a festa…

Do casamento (VI)

Fechamos a pista ao Som de “És tão Boa” todos (Eu, pai, mana e cunhado) de óculos escuros tal qual um Pedro Abrunhosa.

Do casamento (V)

O meu pai não sabe se agarra em mim ou na minha irmã para dançar. Agarra nas duas e lá vamos nós.

Do casamento (IV)

O meu pai e os amigos dançam “Follow the lider” com a coreografia completa. O líder é o meu cunhado.

Do casamento (III)

(re)Vejo pessoas que não via há algum tempo. Dos casamentos que fui o ano passado, as noivas estão todas grávidas.

Do casamento (II)

A [minha] família toda pronta para a foto, a sós. Os homens baralham o sistema, ou a família. Vão mudando de lugares deixando a minha mãe completamente baralhada. Quando finalmente, parecem ter acalmado e o fotógrafo pronto para a foto da praxe, ao mesmo tempo, tornam a baralhar tudo de novo.

Do casamento

Eu, o meu pai e a minha irmã, estávamos com tanta maluqueira, que o fotógrafo, tirou-nos um nº tão elevado de fotos que a dada altura parei de as contar.

sexta-feira, julho 21, 2006

Melhor

que ir ao ginásio para ficar toda partida e com dores musculares é,

dar-me a travadinha e resolver lavar janelas, estores e corrimão...
Depois de 3 estores, 1 janela, 2 corrimãos, estou.... PARTIDA!
Claro que isto tudo depois de chegar a casa, após um longo dia de trabalho....

quinta-feira, julho 20, 2006

"E

preciso reviver o sonho e a certeza de que tudo vai mudar.
É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão.
O importante é aproveitar a aprender a sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver."


By Grabiel Garcia Marques

[Dedicado aos amigos C. e G. Força amigos]

quarta-feira, julho 19, 2006

Coisas que não gosto (II)

Pessoas que falam ao telemóvel no seu tom de voz mais elevado, e "obrigam" as pessoas à volta a saberem tudo [mas mesmo tudo] sobre a sua vida privada [que naquele momento deixa de ser privada].

Coisas que não gosto

Ouvir pais, tios, avós (para generalizar, adultos) a tratarem as criaças por Você.

terça-feira, julho 18, 2006

Post [muito] atrasado

No dia que chego ao Algarve, a mulher de um amigo meu (que vive no algarve) entra em trabalho de parto.
No dia seguinte nasce o pequeno A.
Fomos visitá-lo, mas o hospital trocou-nos as horas de visita e ficámos à porta com o novo papá babado.

Parabéns aos papás, que seja um inicío muito feliz de uma vida a três!
E tu, pequeno A., Bem-Vindo.

segunda-feira, julho 17, 2006

De

Volta!
Pelo trabalho que se acumulou no meu posto de trabalho, parece que estive fora um mês, em vez de uma semana!!!

O

G. trata algumas vezes a A. (namorada) por caçula!
Na praia, alguns resolvem ir andar de gaivota!

Vira-se o M. para a A.:
- Vamos Cacilda, vamos lá para a gaivota!

[Foi a risota geral]

Fui

de férias uma semana.
Fechei a minha casa e esperava encontra-la igual quando voltasse.
Pois quando cheguei, tinha a casa ocupada!
As andorinhas fizeram ninho entre a janela e o corrimão...

sexta-feira, julho 07, 2006

E

hoje, se tudo correr bem, já vou dormir no Algarve.
Volto para a outra semana!

quinta-feira, julho 06, 2006

Mais

uma vez a história repete-se.
Com a Holanda, ganhamos durante o jogo, como no Europeu de 2004.
Com a Inglaterra ganhamos nos penaltys, com o Ricardo em destaque, como no Europeu de 2004.
Com a França, perdemos com um penalty, numa meia final, como no europeu de 2000.

Apesar do resultado, um país tão pequeno como o nosso, estar entre as 4 melhores equipas do Mundo, para mim é um motivo de Orgulho.
Obrigado Selecção!

quarta-feira, julho 05, 2006

Os

franceses, andaram a fazer uns comentários menos bons sobre a nossa selecção.
Pergunto:
"Será que estão com Medo, Miaufa, Cagunfa?"

terça-feira, julho 04, 2006

Para

quando os dias de sol e calor, vulgo dias de Verão?

segunda-feira, julho 03, 2006

Meus

queridos amigos, confesso que, mais uma vez, adorei o nosso "convivio" de ontem.
E, digo-vos mais, se estes nossos encontros fossem "semanais" eu provavelmente já tinha tido filhos.
É que saio destes nossos encontros, cada vez mais apaixonada pelos vossos filhos!

E

quando o Cristiano Ronaldo correu para a bola e marcou o último penalty, eu emocionei-me, pulei, gritei e abraçei-me a ele!
Ele já tinha os olhos cobertos de lágrimas.
A caminho de casa, a festa fazia-se na rua. Os carros não passavam e tive de fazer o resto do caminho a pé.
Passei pelo meio da festa, e emocionei-me novamente, desta vez tive de fazer um esforço para as lágrimas não começarem a cair. Orgulhei-me da minha nação, do meu País, e não era só eu, eramos todos!

sexta-feira, junho 30, 2006

Lisboa

sem greve do Metro é tão, mas tão mais calma...

quinta-feira, junho 29, 2006

Recebo

um mail do meu marido intitulado "CAMPANHA: ALEGRE UMA AMIGA NESTE MUNDIAL!!!!!!!!!!!!!!"
Lá dentro, encontro fotos de jogadores de futebol todos musculados!

E olho para o campo do "FROM" e verifico uma vez mais o e-mail. Sem dúvida foi o maridão.

[A minha mente está Parva...]

quarta-feira, junho 28, 2006

Nem

tempo para respirar tenho!

Quando existe um projecto super importante para entregar, porque é que aparecem sempre outras coisas uregentes para executar?
E, porque é nestas alturas que os clientes resolvem ter actos impensados que resultam no não funcionamento das aplicações. (Um cliente, resolveu mudar as máquinas todas de uma rede, sem falar connosco. Colocou novas máquinas, copiou os shortcuts para as aplicações e... esqueceu-se de instalar as aplicações... só isto! e mesmo assim queria que tudo funcionasse)

E, porque é que isto acontece sempre, antes de ir de férias...

Ainda por cima, fui informada ontem que amanhã tenho uma palestra, para representantes de empresas de renome, nacional e internacional. O tema, é um projecto que eu ainda nunca vi! (isto está mesmo bonito)

Para se juntar à festa, temos a greve do Metro, que me ajuda a demorar uma hora a mais do que o habitual a chegar ao escritório.

É impressão minha ou está tudo contra mim?

segunda-feira, junho 26, 2006

Adormeci

com um sorriso de vitória estampado na cara.
Ouvia-se o hino, lá longe cantado a muitas vozes. Afinados ou não, isso não interessa.
Por volta da 1h da manha, ainda se ouviam os carros a buzinar.
No sítio onde vivo a euforia era geral.

Sofri

muito. Roí as unhas, o cachecol e não aguentei mais e fui para a rua apanhar ar.
Portugal estava parado.
Quando finalmente o jogo terminou, festejei muito.
As vitórias em jogos difícieis sabem muito melhor!

quinta-feira, junho 22, 2006

O

chefe dá-nos sempre dispensa para ver o jogos.
Mas infelizmente, não fomos, ficamos por aqui, no escritório a ouvir o relato!(Estamos cheios de trabalho e preferimos ouvir o relato e trabalhar ao mesmo tempo)
Ainda estava eu a tentar ligar o rádio, já se ouviam na rua os gritos de Golo.
Ouvem-se novamente gritos de golo e aqui no radio nada... não percebemos! segundos mais tarde temos penalty a nosso favor! Percebemos logo que estavamos com o sinal atrasado. Enquanto que na tv, Portugal já tinham marcado golo aqui o arbito ainda não tinha marcado o penalty.
Festejar o 2º golo já não teve a mesma graça ... não ouve a emoção da surpressa/ sofrimento. Mas foi muito bom na mesma!
E Força Portugal!

quarta-feira, junho 21, 2006

Constatações

Eu sei das novidades das minhas amigas, porque leio diáriamente os blogs delas.
O meu Marido sabe dessas mesmas novidades, porque mensalmente almoça com eles, os maridos delas que são amigos dele.

[Nós necessitamos de muitas mais palavras que eles...]

terça-feira, junho 20, 2006

restaurante, o meu pai conta como fazia nas aulas:
-"Eu não prestava atenção nenhuma ao professor e passava a aula a ler livros de cowboys"
- "Cowboys, isso agora é um bocado perigoso", respondemos
- "Sim, mas os cowboys matavam os índios todos"...
- "Mas agora é bom ser Índio, Cowboy é perigoso", Respondemos novamente
- "Tinham logo que fazer aquele filme com os cowboys", diz o meu pai com um ar tristíssimo

Um

jantar de família [a dele que agora é minha também] e os meus país.
Ouvem-se algumas anedotas picantes.
Rimo-nos muito sem qualquer tipo de preconceito ou vergonha.
E sinto-me Adulta!

[Em casa dos meus pais nunca se disseram qualquer tipo de asneiras,... anetodas só daquelas sem malícia]

O

escritório necessitava de umas remodelações, há muito tempo pensadas.
Uma reportagem do canal 2, fez com que as remodelações tivessem início na 6ª e terminassem ontem! (A reportagem foi hoje)
Hoje estamos todos partidos, mas de volta ao Mundo!

sexta-feira, junho 16, 2006

Se fosse uma selecção de futebol presente no Mundial, qual seria?


Você é a Selecção do Togo:
Você nem sabe bem por onde anda, a maior parte do tempo só quer é aproveitar o bom da vida, sem se preocupar demasiado. Não é ambicioso, por isso, para si, tudo o que vier á rede é peixe, valoriza o bom que lhe acontece e se por acaso as coisas lhe correm mal você encolhe os ombros e diz: Siga! Olhado com simpatia e curiosidade por quem o rodeia, você não tem mau perder e para si ganhar é quase um milagre

segunda-feira, junho 12, 2006

"Como

é que faz o lobo?"
"Mu"
Não I., o Lobo faz AUUUUUUUUUUUUUUUUUU
....
Em frente a um lobo embalsemado,
"Como é que faz o Lobo?"
"Mu"

A

casa encheu-se de adultos e crianças.
De papas e chuchas ...
De risos e alguns choros (poucos)
De muita comida e sobremessas optimas (mas muito calóricas e que ficaram lá por casa)
De muita cerveja e muita alegria!

gostei muito!

sexta-feira, junho 09, 2006

Na

sexta feira passada eramos 10 a jantar lá em casa.
Amanhã somos 11 adultos e 3 crianças.
E eu já ando com o nervoso miudinho de excitação. Com aquele pensamento: "Nunca mais é sábado"

Adoro ter a casa cheia de pessoas!
Adoro receber os amigos!

Casa roubada, trancas à porta

Depois disto, os meus pais resolveram por alarme em casa.
Ora, numa destas noites, acordam por volta das 4h da manhã com o alarme a tocar.
Levantam-se, semi-nús, cheios de atitude. Sim, porque já apanharam os ladrões em casa uma vez, portanto, sabem o que fazer....
A minha mãe encontra a minha irmã no hall.
As duas decidem descer as escadas, a minha mãe leva uma moca na mão, daquelas cheias de bicos nas pontas.
Alguem da central do Alarme fala com eles,
- Estão bem?
- Sim, responde o meu pai ao mesmo tempo que carrega a arma
- Senha e contra senha
O meu pai lá diz tudo o que tem a dizer...
- Podem desligar o alarme, o barulho veio da cozinha.( continuam a dizer na central)

Lá descem todos armados até aos dentes, desligam o alarme e entram de rompante da Cozinha. Prontos para tudo. Com a Adrenalina no máximo...

O Ladrão, era o gato, que resolveu saltar do parapeito da janela para o chão e conseguiu activar o alarme.

[Claro que desataram a rir os 3 à gargalhada... E ainda bem que não passou disto!]

quinta-feira, junho 08, 2006

Reunão

marcada com um "gravatas" e lá venho eu de calça vincada, camisa, um sapatinho de salto e um blazer. Não venho de fato completo, não gosto de fatos completos...
A reunião é desmarcada... Tanto "empiriquitamento" para nada...
Hoje venho de calças de ganga, t-shirt, tenis... E avisam-me que daqui a 5 minutos temos reunião com o tal "gravatas".

[Estou fula da vida...]

Continuo

com falta de tempo para vir aqui e para visitar os cantinhos habituais!

quarta-feira, junho 07, 2006

Ai

tanto trabalho!

[tinha tanta coisa para dizer... e sem tempo para escrever]

terça-feira, junho 06, 2006

Recebo

uma mensagem de uma amiga que foi mãe há 1 mês que me diz:
"É como se a M. sempre tivesse existido"
Sorrio e constato que já ouvi tantas mães dizerem o mesmo!

segunda-feira, junho 05, 2006

Isto dava uma canção do Pedro Abrunhosa ou talvez não

Um jantar lá em casa
muita comida para fazer
muitas pessoas para a mesa cozinha,
optamos(ele) pela mesa da sala
muitas(muitas muitas muitas) garafas bebidas
uma gravidez muito desejada
as mulheres todas cansadas
os homens cheios de pica
as mulheres todas a dormir
os homens todos na "coboiada" (agora é perigoso usar esta expressão)
muito barulho em casa
e eu muito chateada
e eu a pensar nos vizinhos que não podiam dormir
e eu a levantar-me para ralhar com os homens que pareciam ter 3 anos de idade, porque todos baixaram a cara, nenhum olhou para mim e nunhum disse nada...
muitas idas ao frigorífico (depósito de cerveja)
muita cerveja bebida
muitas garafas fora do vidrão
muitas horas disto...
ás 6h da manhã cansaram,
ás 8h o maridão acorda com o despertador (dele) que é o telemóvel
e ainda "animado" atende o depertador com vários "tou..." "tou..." "tou..."
A máquina da louça cheia... avariada
Tanta louça para lavar
as cadeiras (da sala) riscadas de caneta
E eu FULA da vida com o Maridão
E ele evergonhado só dizia..."Não fui eu!"
Mesmo à puto....

[Mas eu amo-te tanto...]

sábado, junho 03, 2006

Acabo

de saber que um casal amigo está "gravido".
Nove semanas...
E eu, ainda estou incrédula e abananada, mas feliz, muito feliz.

Parabéns meus queridos!

sexta-feira, junho 02, 2006

Entro

numa loja. Perto do balcão estão duas empregadas e uma senhora já com alguma idade.
Falam do bebé que vai nascer, neto dessa senhora.
"O médico não conseguiu ver. Diz que provavelmente será uma rapariga... Mas não quer dar a certeza. Não viu nenhuma pilinha. Mas só na próxima ecografia é que vai dar a certeza"
Enquanto dizia isto notei-lhe um ar triste, como se estivesse chateada por ser rapariga...
"Deixe lá, se ele ainda não deu a certeza, ainda pode ser um rapaz" - diz uma das senhoras da loja
"Ai... Deus a ouça"
" Olhe, e também se for uma rapariga, não têm problema"
"Ai que horror, nem me diga isso... uma rapariga é que não"
Neste instante olho para aquela aberração, tentando perguntar-lhe onde é que está a sua nave.
"Não diga isso"
"Ai, digo digo... Quando nasce uma rapariga, nasce uma desgraça"

E termina virando-se para elas dizendo:
"Tomem cuidado..."

[Ainda pensei explicar-lhe que, para uma pessoa normal, o importante seria a saúde e a perfeição]

quinta-feira, junho 01, 2006

Tivemos

uma entrevista de emprego aqui no escritório.
A candidata chamava-se Imaculada.
Depois da entevista, começo a brincar com o nome da mesma.
Pergunto ao meu chefe (que não é português) se sabe qual o significado do nome.
Ele responde-me:
"Sei! É aquela que gera um filho sem ter o prazer de o fazer"

[bom... não ia por este prisma, mas bem vistas as coisas....]

quarta-feira, maio 31, 2006

É

normal compararmos o tio[-avô] M. com um gato. Porque o gato têm 7 vidas, e o tio M. acho que tem mais.
Nos últimos anos, o tio M. tem sido uma das pessoas que mais vezes tem visitado o hospital (Que eu conheço).
Quando vai, sempre de urgência, os médicos acabam sempre por não nos dar esperança... Recebo telefonemas da minha mãe, onde do outro lado da linha, ela chora compulsivamente, dando [mais uma vez] a notícia que o tio M. foi para o hospital em estado crítico.
Passados alguns dias da data de entrada no hospital, o tio M. saí pelo seu próprio pé, pronto para outra, como costumamos dizer em tom de brincadeira.
Este fim de semana, o Tio M. foi atropelado por uma moto com um condutor e um pendura completamente bebados. Deixaram o Tio. M. na estrada juntamente com a moto e fugiram.
Felizmente alguém viu e chamou a Polícia que acabou por capturar as pessoas em questão.
O Tio M. encontra-se no hospital com as duas pernas partidas, à espera de uma operação a um dos joelhos.

Força Tio M. e as melhoras...

terça-feira, maio 30, 2006

E

hoje, mais apaixonada que nunca!
E hoje, com ainda mais certezas, que és o homem da minha vida!
E hoje, com ainda mais esperança ou crença, de vivermos felizes para sempre!

[e hoje, já te disse que te amo?]

segunda-feira, maio 29, 2006

fim de semana um casamento, na mesma igreja que o meu.
O mesmo padre. A mesma florista. A mesma quinta. O mesmo sítio para passar a noite de núpcias.
Por instantes, voltei atrás e [re]vivi aquele dia!

quinta-feira, maio 25, 2006

Depois

de ver a notícia do ultimo post.
Fico com uma dúvida...
Porquê só as mulheres? Então e os Homens?

quarta-feira, maio 24, 2006

Estudo:

mulheres que dormem pouco correm mais risco de engordar


[Toca a ir dormir...]

Alguem

leu o livro do Manuel Maria Carrilho? E alguém viu o debate na televisão?
É impressão minha, ou o srº têm a mania da perseguição?
É impressão minha, ou o srº têm mau perder?

terça-feira, maio 23, 2006

Um

autocarro de dois andares, quase lotado.
No banco da frente um casal e uma crinça de uns 3/4 anos.
Uma viagem de 30 minutos.
Ao chegar ao destino, a criança tosse e com a tosse saí mais qualquer coisa.
Vomita.... muito...
A mãe, surpresa com a situação, começa a limpar-lhe o vestido e diz-lhe:
-"Não sabias esperar um bocadinho?"

segunda-feira, maio 22, 2006

Vi-a

crescer dentro da barriga da mãe.
Vi-a crescer cá fora. Acompanhei-a. Tomei conta dela. Protegi-a.
Este fim de semana, foi a benção das fitas dela.
Agora, maior que eu, percebo com a lágrima no olho, que a minha maninha cresceu...

sexta-feira, maio 19, 2006

Hoje....

Existem dias que o melhor era não existirem sequer!
Até um dia melhor...

quinta-feira, maio 18, 2006

A

R. é a irmã do meio de 5 irmãs. (teve mais 2 irmãos homens, mas morreram ainda muito pequenos)
Aos 5 anos de idade, a R. ficou sem pai e sem mãe. Ela e as irmãs ficaram sós naquele Mundo que lhe parecia enorme.
Decidiram abandonar aquela terra que já lhes tinha roubado pai, mãe e os únicos irmãos homens. As mais velhas teriam de procurar trabalho e tomar conta das mais novas.
Assim foi, a irmã mais velha ficou com a R. e com a irmã mais nova. A irmã nº2 ficou com a irmã nº4. Separaram-se! Teve mesmo de ser!
As irmãs foram crescendo...
A R. nunca foi à escola e teve de começar a trabalhar bem cedo.
Aos 16 anos a R. conheceu o J. e apaixonaram-se.
O J. era filho único de uma família com algumas posses.
Muito bem tratado, com uma mãe muito culta.
O namoro de R. e J. não foi bem aceite pela mãe do J.
Mas contra a vontade da mãe, o J. continuou a namorar com a R.. Iam passear, iam a festas, dançavam e o J. recitava poemas de sua autoria à janela de R.
Alguns anos mais tarde, casaram.
A R. não vestiu nenhum fato branco nem entrou numa igreja ao som da marcha nupcial. A R. estreou o seu 1º vestido, um saia e casaco creme e tinha um pequeno ramo de flores na mão, apanhado de manhã no jardim de casa de sua irmã. O casamento, realizou-se ali mesmo em casa da irmã, na presença dos pais do J. e das irmãs de R.
Os primeiros tempos de casamento foram felizes, nasceram os filhos, 1º o C. e 3 anos mais tarde o J. Cresceram felizes.
O J. montou o seu próprio negócio e os filhos, quando deixaram de querer estudar juntaram-se a ele.
Quando fez 20 anos o C. filho mais velho de R. morreu.
Mais uma vez, a vida roubou alguém a R., mas desta vez a dor era muito maior. A dor de perder um filho era enorme e R. julgou que não ia aguentar.
A R. perdeu o sorriso e a alegria.
Dois anos depois, o único filho que lhe restava, presenteou-a com uma neta. Neta essa, que a ajudou a sair do sofrimento em que se encontrava.
Hoje passados mais de 30 anos, a R. ainda sofre (muito) com a perda do filho.
Hoje, passados mais de 30 anos a R. ainda não frequenta casamentos, baptizados ou festas.
Hoje, passado mais de 30 anos a R. ainda não sorri verdadeiramente.
Hoje, passados mais de 30 anos, começou finalmente a acompanhar J. nas viagens que este tanto gosta de fazer.

Eu acho que, secretamente ela anseia que um dia, esse filho que a vida lhe roubou antes de tempo, lhe dê a mão e a leve consigo.

Mas enquanto isso não acontece, a R. não vive, sobrevive.

Parabéns Avó.

[Eu desejo dar-te os parabéns, por muitos e muitos anos. Porque porque és muito importante para mim. Quem sabe, se eu não terei uma parte do meu tio dentro de mim? tal como tu dizes, eu sou muito paracida com ele... mas eu acho que sou parecida é contigo, herdei a tua calma e serinidade, o amor pelos animais e até o ar triste.
Foste e és um dos meus pilares e quero-te ainda, durante muito tempo a meu lado. Fazes-me muita falta. Amo-te muito]

quarta-feira, maio 17, 2006

1,5 L

de água num dia. (uauuuu!)
E o meu dia resume-se em:
de 30 em 30 minutos levanto-me da secretária e corro para a casa de banho.

terça-feira, maio 16, 2006

Quando

for velhinha, velhinha, velhinha, gostava de ser magrinha!

segunda-feira, maio 15, 2006

Jantar

de amigos. Eramos 7, 4 raparigas e 3 rapazes.
De todos os assuntos abordados, um foi o "cirugias e anestesias".
Curiosamente, as únicas duas pessoas que já tinham sentido na pele o efeito de uma epidural, eram dois homens!

sexta-feira, maio 12, 2006

Aos 30

Ontem, na Serie do Canal 2 "Friends", o tema era os 30 anos!
Quando fizeram 30, entraram numa crise de "será-que-já-fiz-tudo-o-que-tinha-planeado-fazer-antes-dos-30?"
E eu, 2 anos (pronto, 1 ano e meio) antes de fazer os 30, penso, e eu? Será que já fiz tudo que tinha planeado?
A minha consciência responde-me: " Ainda tens 1 ano e meio..."

quarta-feira, maio 10, 2006

Esta


é para a menina que acabou de nascer!
Bem vinda a este mundo M.

Nova

moda, vestidos cintados até à cintura e cheios de roda da cintura para baixo.
Não esquecer do laço também à cintura.

Quando visto um destes, parece que voltei aos meus 10 anos.


[Começou a minha época dos casamentos! Começei a procurar algo para vestir e está difícil]

"Os

meus colegas de turma, fizeram menos de metade daquilo que eu fiz aí e tiveram muito melhor nota que eu" o estagiário

[Aqui ele não fez NADA. se os colegas fizeram metade... não consigo imaginar o que terão feito. Depois quantidade não é sinónimo de qualidade]

terça-feira, maio 09, 2006

Ontem

foram atribuídas as notas ao estagiário que me deu cabo da cabeça.
Chumbou!
Ele ficou espandadíssimo e acusou-me de lhe estragar a média.
Alegou que não ia acabar o curso por causa da nota do estágio.
Disse ainda que, para mim era indeferente a nota e para ele era muito importante ter um 10.
Segundo a escola, que ligou logo depois de ter recebido a nota. De todos os alunos, ele tinha sido o mais entusiasta em relação ao estágio. Como tal todos estavam à espera de uma grande nota.

Não consigo perceber isto, juro que não!

[Houve uma avaliação intermédia, onde as notas foram + ou - a nota final. Houve uma reunião com ele, onde lhe foi explicado o porque de cada valor. Ele concordou com tudo e até achou que os valores (negativos) estavam elevados demais. ]

segunda-feira, maio 08, 2006

Resposta aos comentários do post anterior

às vezes sonho que vou a cair, outras que estou doente e ainda umas em que morro.
Isso não significa que esteja com vontade de cair, ficar doente ou morrer.
São sonhos, ou pesadelos como queiram chamar-lhe.

[não me interpretem mal, eu quero muito ser mãe, mas não agora. Agora não é de todo, a melhor altura por variadíssimas razões e algumas de vocês sabem porque]

Sonhei

que estava grávida e que tinha tido gémeos!

[penso, que o sonho se deve à conversa que tive ontem com a minha sogra, onde fiquei a saber que tanto a avó parterna como a avó materna do Gu, tiveram gémeos]

sexta-feira, maio 05, 2006

Gostava

de ter 3 filhos.
Os 2 primeiros com pouca diferença de idades e o 3º já com uma diferença consideravel.
Dado que estou quase a entrar nos 30 (coisa que ainda não acredito!), esta coisa do "gostava", arefeceu um bocadinho e começei a pensar que 2 filhos também não é mau ... e além disso 1 filho dá muita despesa, 3 dão muito mais, e tal...
Ontem ao ver o telejornal, constato que o governo vai incentivar a natalidade e penalizar quem não têm filhos ou apenas 1.
Penso:
"que se lixe, tenho os 3 de seguida"

[em conversa com o maridão, brincávamos e diziamos que afinal iámos ter 5. Duas barrigas de gémeos... os gémeos são ideia dele! Penso melhor e digo-lhe que ficámos pelos 3, mas nada de gémeos]

quinta-feira, maio 04, 2006

Após

5 meses e 3 semanas, o meu projecto para a casa nova, foi aprovado num dos 3 organismos, pelos quais têm de passar, antes de ser aprovado pela arquitectura e especialidades.

Por este andar, daqui a uns 3 anos devo ter o projecto aprovado.

quarta-feira, maio 03, 2006

Credo!

(limpem-me a baba sff...)
Depois de uma pesquisa sobre o significado do meu nome, o resultado é:

Tem como significado "a senhora da casa" e indica uma menina apaixonada pela discrição e organização. É exemplar e raramente critica o comportamento de outras pessoas.

Foram

3 dias em que não dormi muito (dormi muito mais que o normal), mas passeei, fui à praia, descontraí e descansei muito.
Apesar disto tudo, hoje não me aguento de cansaço. Estou com uma "moca" de sono...
Porque será?

[Será do guaraná?]

segunda-feira, maio 01, 2006

Nascemos


no dia 4 de Abril e procuramos novos donos!
(Somos de raça pequena)










Eu sou o Chocolate, Deram-me este nome, mas eu ainda não percebi porquê!











Há quem seja Galã, eu sou o Galão!










Tenho o nariz pintalgado e a ponta do meu rabo é branca, sou a preto e branco!









Se gostaste de algum de nós telefona: 96 584 69 25.

sexta-feira, abril 28, 2006

A

PJ esteve em casa dos meus Pais!
Autênticos CSI, tirando fotos e procurando por impressões digitais.
Pela experiência deles, os ladrões não estavam à espera de encontrar os donos da casa, dentro de casa.
A minha mãe em conversa diz:
-"Sabe Srº Agente, o meu gato conseguiu vê-los, mas coitadinho ele não fala"
-" Minha senhora, Já tivemos muitos casos em que o animal de casa era um Papagaio, todos falavam, mas nenhum nunca nos disse quem eram os assaltantes"

[Polícia de bom humor]

quinta-feira, abril 27, 2006

E

hoje, quando fui verificar se o meu estagiário, já tinha corrigido o erro que ele criou ("table_nome_da_tabela"), verifico que afinal o nome de cada tabela é: "tabela_nome_da_tabela1", "tabela_nome_da_tabela2", etc...
Penso, afinal, não mudou aquilo que eu lhe pedi.
Chega, atrasado como sempre, e eu pergunto-lhe:
- Então não fizeste o que te pedi!
- Fiz!
- ?? mas o nome das tabelas continua com tabela no nome
- ah! pois eu mudei de table para tabela, não foi isso que me pediste?
- (risos muitos risos)

[quase... estive quase a sair-me com um dahhh!!! ]

Existem

algumas coisas que não requerem raciocínio, que eu peço ao meu estagiário para fazer.
Á partida, ele executa a tarefa correctamente.
Ontem, criei uma base de dados no papel. E pedi-lhe se ele podia cria-la no servidor. Descrevi as tabelas na seguinte forma:
TABLE nome_tabela1, TABLE nome_tabela2, TABLE nome_tabela3, etc...

(TABLE = TABELA, Uma base de dados é composta por tabelas)

Quando começo a trabalhar com a base de dados, verifico erros na chamada às tabelas.
Vou ao servidor acedo à Base de dados e percebo os erros. Os nomes das tabelas eram:
table_nome_tabela1, table_nome_tabela2, table_nome_tabela3 etc...

[pronto! eu pensei que não fosse necessário raciocínio, mas afinal era necessário um bocadinho muito pequenino. E mesmo nesse bocadinho ele falhou...]

quarta-feira, abril 26, 2006

Eram

dois. Ás 4h da manhã, encontraram a janela do escritório e conseguiram partir os estores.
Entraram.
Viram o escritório, guardaram o que lhes interessava.
Continuaram pela casa. Ainda tinham muito a percorrer.
No Hall, uma mala, um móvel com algumas gavetas, um envelope com dinheiro, uma pulseira e uma libra de ouro,...
Encontaram a cozinha, e o gato dormia. O gato acordou, assustou-se, não os conhecia.
Os donos da casa, dormiam no andar de cima. O dono ouviu um barulho estranho.
"O que se passa com o gato" pensou...
Levantou-se, sem acordar a mulher.
Os barulhos eram cada vez mais perceptíveis.
Não acendeu as luzes. Estava escruro. Ao descer a escada viu uma pequena luz, mesmo em frente a ele. Era o ladrão e estavam frente a frente.
O Dono da casa gritou e tentou agarra-lo.
Assustaram-se e conseguiram fugir.

[Os donos da casa eram os meus pais]

Os

meus pais foram passar uns dias fora. Num desses dias, a minha mãe liga-me:
- Olá, estou a ligar-te a esta hora, porque vamos para um concerto.
- Um concerto? Vão ver quem?
- Uma brasileira. Não me lembro do nome.
- Uma brasileira?
- Sim. Espera que vou perguntar ao Pai.... Olha é a Daniela Mercury.


Os meus pais, voltaram à juventude. E eu acho muito bem!

segunda-feira, abril 24, 2006

Deram

as mãos e prometeram respeito, fidelidade e amor eterno.
Passado 29 anos, continuam de mão dada e mantêm as promessas.

[Parabéns Pai e Mãe]

sexta-feira, abril 21, 2006

A

minha irmã está no Brasil.
Foi no Domingo em viagem de Finalistas.
Ela quis [e a minha mãe insistiu ] levar o telemóvel. Ele ía carregado com 50 euros.
Ela chegou ao Destino no Domingo à noite.
Na terça, telefonou-me:
"Mana podes carregar-me o telemóvel com 20 euros?"
"Sim, claro que posso"
Ontem, a minha mãe estava desesperada, porque o telemóvel estava desligado.
Finalmente, ela ligou dizendo que já não havia dinheiro no telemóvel.
4 dias, 70 euros, não está mal para começar. Tendo em conta que ela vai lá estar duas semanas, avisinham-se muitas idas ao multibanco para efectuar carregamentos.

[Aqui é caso para dizer, "Eu bem avisei". Porque eu sempre disse que o melhor era ela ligar, como eu sempre faço quando vou de viagem. Mas a minha mãe, é mãe galinha e com ela não admitiu: "só me telefonas quando queres..."]

quinta-feira, abril 20, 2006

Não

passei por cá ontem! Estive o dia todo no cliente. Fui até Aveiro (mais propriamente Gafanha da Nazaré) dar formação ao cliente.
Correu tudo bem, à excepção de:
- Na ida, ao chegar a Santarém, o carro avariou.
- Acabamos por ir até Aveiro de Taxi
- A minha pen que levava algum upgrade da apliação estava vazia
- Quase a acabar a formação não me espetei ao comprido do chão, porque encontrei a parede antes.
- O cliente deu-me boleia até à estação de combios, no caminho quase que nos espetamos num carro que estava parado na faixa.
- Quando chegamos à estação, tinhamos 3 minutos antes do comboio partir.
- Não conseguimos comprar os bilhetes à 1ª.
- Não saíu recibo, o combio já estava parado na estação e nós a refilar com a máquina porque não saía o recibo.
- Quando entramos [finalmente] no comboio, percebemos que o recibo estava colado aos bilhetes
- Depois de muito procurar, lá encontramos os nossos lugares
- Duas estações à frente, existam duas pessoas em pé que diziam que aqueles lugares eram deles
- Percebemos que tinhamos apanhado o comboio errado. (felizmente, o destino era o mesmo) Ainda perguntei ao "pica" se iam parar a composição e colocar-nos na rua. Felizmente não.
- Quase à chegada a Santarém o Comboio parou, descobrimos que existia um comboio à nossa frente avariado. Conclusão: Chegamos a Lisboa com 55 minutos de atraso.
- Cheguei a casa eram 11h da noite.

Tirando tudo isto, correu tudo muito bem!

terça-feira, abril 18, 2006

Os

problemas dos meus amigos, são meus também!

Sinto-me lisonjeada quando sou escolhida pelos meus amigos para desabafar. Estar alí, ouvi-los, ajudar-los.
Só o simples facto de ouvir já os ajuda.
Sofro muito com eles. Penso neles durante o dia e a noite. Muitas vezes dou comigo com a lágrima a cair pela face abaixo.
Depois, quando tudo de resolve, celebro com eles!
Fico feliz por [e com] eles.

[Sinto-me bem, quando ajudo amigos nos momentos difíceis.]

segunda-feira, abril 17, 2006

Acredito

nas coisas boas da vida.
Acredito que o Amor vencerá sempre.

Conversávamos

sobre a 1ª gravidez da minha mãe (portanto, eu), diz a minha mãe:
- Eu sentia-me envergonhada e não queria que ninguém soubesse. O meu marido, estava tão contente que contava a toda a gente, parecia que lhe tinha saído a sorte grande.
O meu pai responde:
-"E saíu"

[eu comovida com a resposta acrescento, : "(sorte grande)E a terminação"]

Na

sexta-feira santa, o Gu foi à pesca.
Quando vi a quantidade de mexilhão que apanhou nem queria acreditar que tivesse mesmo sido apanhado por ele. [era mesmo muito]
Cozinhamos para alguns amigos, soube muito bem!

E, "moléstia" à parte, aquilo estava muito bom!

quinta-feira, abril 13, 2006

A

doença do meu avô, tornou-me numa gaja sensível, maricas e medricas.
Felizmente, tudo correu pelo melhor, mas se algum dos meus avós [ou os meus pais] dá um aí, lá estou eu a tremer que nem varas verdes e com os olhos carregados de lágrimas.
Todos os dias agradeço por tê-los comigo.
Sempre que posso, aproveito para lhes dizer e mostrar o quanto os amo e o quanto são importantes para mim.


[Ontem depois de saber da morte do avô de um amigo, chorei. Chorei com medo de um dia passar pelo mesmo que ele está a passar agora]

quarta-feira, abril 12, 2006

Eu tenho um sinal na testa

é que devo ter de certeza.
Já não me bastava as senhoras virem meter conversa comigo do nada.
Agora, ou melhor hoje, ia eu descansadinha da vida na rua, quando passo por um gajo [nojento por sinal] que me apalpa sem cerimónias.
Passei-me, virei-me para trás, [estava tão irritada que só me apetecia pegar-lhe na tromba e manda-lá directamente ao empedrado do chão] chamei-lhe alguns nomes, irritadíssima, mas ele nem olhou para trás, continuou o seu caminho. E eu alí fiquei a fazer figura de Ursa, com o resto das pessoas da rua a olhar para mim.

[eu ainda fiz figura de Ursa ]
metro, 3 senhoras e eu.
Elas conversam sobre o dia de amanhã, diz uma:
"Dão a tarde, mas nós que somos do turno da manhã temos de vir trabalhar, as do turno da tarde não metem cá os pés"
Diz outra:
" Ainda por cima, tanto trabalho"
Diz a outra:
"Ó pá, muito trabalho nada, não vês que amanhã ninguém trabalha"
Eu penso: "Eu trabalho"
Diz a outra :
" E quem trabalha é Parvo"
Eu penso:
"OK, eu sou Parva" [Só pelo facto de trabalhar amanhã]

terça-feira, abril 11, 2006

A

minha maquina de lavar louça avariou.

[cheia de louça por lavar]

segunda-feira, abril 10, 2006

Doi-me

o olho!

[o esquerdo, não pensem ordinarices ]

Este

fim de semana, serviu mais para trabalhar que propriamente para descasar.
Ontem à tarde tive uma impressão no olho, não conseguia parar de coçar, hoje doi-me, sinto-o mais pequeno e a lacrimejar.

Normalmente, os fins de semana valem pelo descanso,este, deu cabo de mim.

sexta-feira, abril 07, 2006

Se

não fosses tu a convencer a minha mãe que na primeira vez não havia problema, eu hoje não existia.

Quero que saibas , que és uma das pessoas que mais respeito neste mundo. És uma das pessoas que eu não quero desiludir nunca. Quero que tenhas sempre muito orgulho em mim. És uma das pessoas que mais amo!
Já o disse e torno a repetir, és o meu Herói.

Parabéns Pai.

quinta-feira, abril 06, 2006

E

hoje quero dar os meus parabéns ao Metropolitado de Lisboa.
Quero felicitá-lo, por um lado pelos o acentos confortáveis me deixam dormir durante toda a viagem e por outro, porque ainda mal acordei da viagem já vejo 4 lançes de escadas rolantes, todas no sentido "de baixo para cima", avariadas.
E eu, ainda com a ramela no olho, tenho aqueles degraus de número infinito para subir.
Faz-me bem, é execercício e ainda por cima gratuíto.
E mais, os Srs que mandam lá no sítio, devem saber exactamente as horas em que eu passo lá, pois ontem ao final do dia, quando eu me preparava para descer, os 4 lançes de escadadas avariaram, e em que sentido??? claro está no sentido em que eu estava "de cima para baixo".

Obrigada Metro, eu agradeço, a minha carteira tb e o meu marido agradece mais ainda.
As minhas pernas é que estam desejosas de ter uma conversa séria contigo.

quarta-feira, abril 05, 2006

Sei

que nem sempre tivemos uma história feliz. Nem tudo foi um mar de rosas.
Tu erraste, eu errei. Todos erramos, somos humanos.
A diferença destes erros está em, quando uma mãe erra [não percebendo que está a errar], fá-lo pensando sempre no melhor para o seu filho.
A cada dia que passa compreendo melhor o significado da frase "Mãe é Mãe" ou "quem tem uma mãe tem tudo".
A cada dia que passa, percebo melhor o teu amor, consigo senti-lo e vê-lo.
Percebo que o teu amor por mim e pela minha irmã, não tem fim, é bondoso e humilde.
Existem tantas coisas que hoje eu não faria ou dizia. Mas hoje é tarde demais para voltar atrás, embora hoje, ainda esteja a tempo de te pedir desculpa por todas as vezes que te magoei, tembém venho a tempo de te dizer que, apesar de tudo, amo-te muito.

Parabéns Mãe!

terça-feira, abril 04, 2006

Uma noite atribulada

Caí na cama e adormeci de seguida.
A meio da noite, + ou -, porque não tenho a noção das horas que eram, acordo com a solução a um problema que tinha na programação de um projecto.
Penso "fixe!" e volto a dormir!
Mais tarde, sou acordada pelos movimentos do Maridão na cama.
Penso "Bolas, acordou-me" demorei um bocadinho, mas voltei a dormir.
Mais tarde ainda, sonho com musica, muitas musicas, e acordo com o depertador dele a tocar, o meu estava a tocar à mais de 5 minutos.

Nunca me tinha acontecido, não acordar com o barulho do despertador!
São férias, são mesmo férias que estou a precisar!

segunda-feira, abril 03, 2006

Antes

de entrar na banheira olhei o meu corpo nu ao espelho.
Assustei-me, do outro lado do espelho não reconheci a pessoa nem o corpo.

Era eu, claro, mas vi-me gorda!

Ontem

vi lagrimas cairem-lhe pela cara a baixo. Lagrimas devido à doença de alguém que ele gosta muito.
E eu fiquei ali, em frente a ele, a tentar consola-lo, sentindo-me impotente, incapaz de terminar com aquela dor!

[Quero que saibas que estarei sempre a teu lado]

sexta-feira, março 31, 2006

Acredito

em contos de fadas, daqueles em que as personagens são felizes para sempre!

[acredito nisto desde o momento em que senti que estava apaixonada por ti, desde que te beijei pela 1ª vez, desde aquele "sim" tão sentido e profundo no altar, desde que vi as lagrimas de felicidade correrem-te pela cara baixo. Desde aí que percebi que iamos ser felizes para sempre como nas histórias de encantar]

quinta-feira, março 30, 2006

Em

conversa com duas amigas, descobri que afinal já tenho 28 anos e para o ano faço 30.
Fiquei chocada!

[pensava que tinha 27, feitos há pouco tempo]

quarta-feira, março 29, 2006

Deus

dá com uma mão e tira com a outra.

[Provérbio popular]



[Encontrei a minha carteira, mas também recebi uma carta da EDP no valor de 160€]

Todas

as cadelas têm sorte!

[Provérbio popular]


[A minha carteira apareceu, no sítio onde esperava que estivesse, com tudo o que tinha lá dentro.]

terça-feira, março 28, 2006

À

saída do metro, temos de passar o passe para que a cancela se abra.
Foi nesse momento que percebi que a carteira não se encontrava na minha mala!
Vou de imediato ter com o segurança, que me diz que tenho de falar com a senhora que se encontra na bilheteira.
Explico-lhe que acabei de perceber que perdi a carteira e pedi-lhe se me podia abrir a cancela para poder sair.
(sentia o corpo todo a termer...)
e Ouço:
- "nestes casos, chamamos a fiscalização e a Srª tem de pagar uma multa"
Fiquei de todas as cores, esboçei um sorriso (sem sei como) e agradeci, por me estar a abrir uma excepção.

[naquele momento apeteceu-me chamar-lhe alguns nomes, então eu tinha acabado de perceber que tinha perdido a carteira e a senhora diz-me que neste casos ainda tenho direito a multa???]

Para

começar bem o dia:
Perdi a Carteira!

[Entre perdida ou roubada, perfiro pensar que a perdi]

Ontem

enganei-me com o tempo.
Começei a trabalhar à hora nova e terminei à hora antiga!

segunda-feira, março 27, 2006

Não

gosto da mudança de hora. Embora goste muito mais deste horário.
Ontem tive uma hora a menos e, é hoje que estou a sentir na pele ter dormido hora(s) a menos...

[Férias, onde vocês andam???]

sexta-feira, março 24, 2006

À

porta do metro, vi um aglomerado [fora do normal] de pessoas.
Pensei Não me digas que andam à pancada outra vez?
Olho melhor, vejo as pessoas demasiado excitadas, no meio o rapaz muito assustado.
Pronto, roubou e agora está a sofrer as consequências
Consigo perceber algumas das suas palavras, ouço: Tenham calma, tenham calma.
E as pessoas rodeavam-no cada vez mais...

Por fim percebo que estavam a oferecer iogurtes juntamente com um desses jornais diários gratuitos.

O rapaz era quem estava a distribuir os iogurtes!

Então

um motorista é um condutor de motos.
E um biciclista?
É um condutor de bicicletas.


[3 rapazes, uma viagem de metro, e muitos disparates ]

quinta-feira, março 23, 2006

Ontem

juntei-me a 3 amigas e lá fomos nós dar uma volta.
Saímos para jantar e aproveitamos para nos enfiar num shopping e ver umas lojas.(Eu, não entrava num shopping há muito tempo)
Foi giro! Muito futil, é verdade, mas por vezes este tipo de futilidades sabe-me bem!
Entramos em várias lojas, experimentamos o que nos apeteceu, conversamos até dizer mais não (o assunto entre mulheres é algo que não se esgota).
E quando cheguei a casa vinha mais leve. Já que não posso ir para o SPA, aproveitei e fui às compras, também me relaxa...

quarta-feira, março 22, 2006

Apetecia-me

ir passar uma semana a um daqueles "SPAs".
Onde poderia dormir até me apetecer, levar massagens de todos os tipos, fazer os mais variados tratamentos de beleza, enfim, descansar e relaxar.

terça-feira, março 21, 2006

Uma

das vantagens de andar de transportes públicos é:
Olhar lá para fora estar a chover intensamente e um trânsito infernal, e pensar, ainda bem, assim posso dormir mais um bocadinho.

[Fecho os olhos e adormeço imediatamente]

segunda-feira, março 20, 2006

Ultimamente,

de cada vez que me olhava ao espelho, não gostava [nada] daquilo que via!
Este sábado, tomei coragem e fui mudar de visual.

Não significa que esteja melhor ou pior, estou diferente!

sexta-feira, março 17, 2006

Expliquei

o projecto como se ela fosse muito burra!
No final percebi [percebemos todos] que afinal ela era mesmo muito burra!

Não

me aconteceu nada de especial.
Ando cada vez mais, com menos tempo para vir aqui!
E menos tempo ainda, para ir visitar outros cantinhos.

[já estou a necessitar de férias]

quarta-feira, março 15, 2006

A

nossa última viagem foi preparada com muito tempo de antecedência. Tanto tempo, que fizemos duas viagens pelo meio.
Preparamos tudo ao mais ínfimo pormenor. Datas, onde comer, onde dormir, o que visitar, por que ordem, etc.
Foi uma viagem fenomenal, com a qual ainda sonho, da qual sinto saudades como nunca senti de lugar nenhum.

Estamos a planear as nossas férias deste ano. Andamos a pesquisar um destino. Nenhum local nos parece suficientemente bom, comparado com a nossa última viagem.

[não deviamos ter ido à patagónia tão cedo, deviamos ter esperado uns bons anos]

terça-feira, março 14, 2006

"E

o Pinto?, não achas giro"
- "uhhh... nem por isso"
- "Não digas isso, ele tem cá um cú!"
- "Sabes eu e a Vanessa estivemos a conversar com ele no msn"
- "Ai sim... e então... conta..."
- "Sabes o pai da Vanessa é todo musculado, e ela tem lá muitas fotos do pai em pose"
- "A sério"
- "Sim... fartei-me de rir. Bom, mas estavamos a falar com o Pinto no msn, quando ele perguntou se tinha foto"
- "E vocês?"
- "Então a Vanessa disse que sim e enviou as fotos do pai musculado. Depois enviou da mãe e dos irmãos"
- "O quê? e Ele?"
- "Ele disse, ok já percebi és pita não é? E a Vanessa respondeu, Pita??? meu menino já tenho 16 anos"
-" Olha que se fosse eu que estivesse do outro lado, pensaria o mesmo. Isso (mandar fotos da familia) é mesmo atitude de pita e não de rapariga de 16 anos"


[conversa entre duas "raparigas de 16 anos", ontem, ao meu lado no metro]

segunda-feira, março 13, 2006

Com

as notícias chegam as saudades!
as pessoas telefonam-nos a dizer que estão a ver imagens da queda do Perito Moreno.
Imagens e videos parecidos aos que viram lá em casa!

Começou o processo de ruptura do Glaciar Perito Moreno. (este fim de semana)

mais info
[E pensar que há 3 meses eu estava lá... ]

Acordei

com o céu azul, limpo.
Da janela do meu quarto, hoje, via-se o mar (lindo).
A boa disposição acordou comigo.

[Gosto tanto de acordar num dia destes!]

sexta-feira, março 10, 2006

Trabalhar

no Bairro Alto é encarrar logo de manhã com o Batman (Com traje completo)!
O Batmobil, não vi.

[não sabia que morava/trabalhava por aqui.]

quinta-feira, março 09, 2006

O dia Internacional da Mulher

foi ontem e passou-me completamente!
Esqueci-me, oh... e só me lembrei de noite, já em casa...

[para o ano junto-me com algumas amigas e vamos jantar, para comemorar o dia]
final de Janeiro, passei 3 (três) dias em reuniões e a fazer análise, a uma nova aplicação que iriamos devenvolver "à medida" do cliente.
Depois da análise feita, envei ao cliente, os desenhos explicativos da aplicação.
Pedi-lhe que fizesse a sua análise e que me dissesse algo no caso de haver alterações.
Tudo isto passou-se no início do mês passado.
A data prevista para o arranque no devenvolvimento seria na última 3ª feira. Por outros motivos, consegui antecipar essa data para uma semana antes.
Ontem, o cliente disse que estava com dúvidas e queria alterações.

[Depois de ter os papeis durante um mês só ontem olhou para eles! Apeteceu-me manda-los para outro sítio]

terça-feira, março 07, 2006

Eram

umas 15 horas quando faltou a Luz.
Eram 17h, quando o chefe mandou tudo para casa.
Escusado será dizer, que nos próximos dias nem vou ter tempo para respirar!

[bolas... tenho tanto que fazer]

Durante

o fim de semana estive a pensar e decidi que quero mesmo fazer isto!
E vou mudar e empenhar-me no trabalho.

(by estagiário)

[e não é que, se empenhou mesmo?!?! vamos ver, se foi só ontem...]

segunda-feira, março 06, 2006

Tivemos

a "tal" conversa séria com o estagiário.(o meu chefe e eu)
Correu,..., nem bem nem mal.
Ele afirmou: "nunca pensei que programar fosse tão difícil" (depois de estar a estudar há não sei quanto tempo é que vê isto?)
e ainda:
"não sei se é mesmo isto, que quero fazer para o resto da minha vida"
Pois....claro...
Bom, foi-lhe dito que tem o fim de semana para pensar bem no que quer fazer.

[A resposta chega hoje]

Este

fim de semana, a única coisa de útil que fiz foi limpar a casa no sábado de manhã.
O resto, foi passado no sofá enrolada com o maridão.

[Soube tão bem!]

sexta-feira, março 03, 2006

"Não

vou poder ir de manhã. Vou com o meu Sobrinho ao médico.
Não tenho bateria no telemóvel!"
[cheira-me mais a: não me telefones]
"Amanhã levo o atestado.
Envia-me o nº do teu telemóvel para falarmos."
[OK,: não telefones eu telefono-te]

[E-mail enviado pelo meu estagiário, ontem. Escusado será dizer que não meteu cá os pés.]

quinta-feira, março 02, 2006

"O

problema dele é ter uma mulher como chefe."
(se for este o problema vai ter de aguentar-se à bomboca, o pobrezinho)

[diz o meu chefe em relação à atitude do estagiário]

A

situação do estágiario está a degradar-se.
Não é bem a situação, mas sim a atitude dele. Apesar de já ter idade suficiente para pensar de forma adulta, ainda tem uma mentaliade infantil.
Está a dar-me cabo dos nervos.
(chega tarde e a más horas, passa o tempo todo ao telemóvel e a enviar sms, não faz o que lhe peço a tempo e horas, e quer sair mais cedo. Claro está que não saíu)
Hoje, vou conversar seriamente com ele.(mais uma vez)

quarta-feira, março 01, 2006

Enquanto

esperava pelo autocarro, a senhora que se encontrava na fila mesmo atrás de mim, questiona-me se falta muito para o próximo autocarro.
Respondo que não.
E, esta troca de palavras, foi o bastante para um início de dialogo.
Esta senhora que tinha por volta dos 60 anos, só tem o marido. O marido encontra-se internado no hospital há 3 meses. A vida dela passa por ir visitá-lo diáriamente. Chega o mais cedo que pode, e sai o mais tarde que pode. Todos os momentos com ele são importantes.
Tentei animá-la, dizendo-lhe que qualquer dia, o marido já está em casa. Quando os olhos se enchem de lágrimas, e ela me diz que tinha acabado de falar com a médica.Esta, tinha acabado de lhe dizer que o marido nunca mais iria respirar sozinho e provavelmente nunca mais voltaria a casa.
Fiquei ali, a ouvi-la e a tentar dar-lhe esperança e força, enquanto a sua cara estava lavada em lágrimas.

[ainda não me consegui esquecer dos seus olhos solitários]

segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Parece

que todos fizeram ponte, menos eu!

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Tu

tens jeito. Davas uma boa professora! diz-me o estagiário.

[não sei se interprete com um elogio ou como uma critica negativa]

Uma

semana e um dia depois de começar a trabalhar comigo, o estagiário começa a pensar!

[finalmente!]

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Uma

reunião com um cliente de hora e meia.
Um cliente que de duas em duas palavras, acrescenta a expressão "uhh?"

[posso dizer, uhh? que foi uma boa reunião, uhh?]

Para

quem me conhece, sabe que uma das minhas qualidades [ou defeitos, depende da perspectiva], é a paciência.
Para alguém me conseguir tirar do sério é necessário que aconteça muita coisa [muita coisa mesmo].
Tenho um estagiário a trabalhar comigo, começou à uma semana.
Ontem, [eu] estava de tal forma que só me apetecia chorar!
Supostamente, ele está aqui para me ajudar no trabalho, mas perco mais tempo a explicar-lhe vezes sem conta a mesma coisa, que ele passa a ajudar-me.
Ele prefere não pensar, espera que alguém lhe diga como se faz e não se interresa em perceber. Eu não lhe digo, espero que ele me de a resposta. Faço-o pensar!
Ele, desculpa-se e culpa a escola e os professores!
Faz cara e voz de vitima! [Odeio que se façam de vitimas]
Diz que tem problemas [Quem os não tem]

Acho que, depois de uma semana aqui, ele deve odiar-me e começo a sentir-me mal com isto!

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Benfica - Liverpool





o meu jogo de ontem à noite!

Este



ainda está em estudo.

Um



ficou para mim, os outros foram presentes de natal.

terça-feira, fevereiro 21, 2006

De

noite, antes de me deitar penso na roupa que devo vestir no dia seguinte.
Escolho calças, camisa e ou camisola, um lenço, um colar, um blazer, os brincos, etc.
Quando acordo, acordo de tal maneira que tudo aquilo que escolhi, não me parece apropriado. Ainda é de noite, e está muito frio. Nada do que tenho me parece suficintemente quente e confortavel para vestir. Mudo tudo o que escolhi.
Visto-me com camadas e camadas de camisolas mais finas e por último um camisolão.
Para finalizar um casaco bem quente e um cachecol.

Nem me olho ao espelho. Quando aqui chego, sinto-me "enchoriçada" e nada bem vestida.
Penso sempre, amanha visto aquilo que escolher à noite.
Na manhã seguinte o ritual repete-se.

[tenho de acordar mais bem disposta. E isto no verão é muito mais fácil]

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

domingo. O que posso dizer.
Estar com amigos é sempre muito bom.
Olho para nós e relembro os tempos de faculdade. Naquele tempo eramos mais rebeldes e aventureiros. Mais desprendidos dos compromissos. Tinhamos a loucura da idade mas também a responsabilidade de estudar e terminar os estudos no tempo estipulado.
E assim foi. Hoje aqui estamos.
Já, com muitos comprossimos importantes, com as nossas profissões, com os namorados(as) e maridos(as), alguns com filhos(as).
E o mais importante, é [tenho a certeza] estarmos todos muito felizes.
E isso, é o mais importante.

[Obrigado meus queridos por este Domingo]
sábado, perdi a conta às vezes que estendi e apanhei a mesma roupa.

[tal era a rotatividade entre o a chuva, sol e o vento]

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Gosto

de chegar a casa e encontra-lo à secretária.
Quando me sente a chegar, finge que adormeceu tal qual a bela adormecida à espera do beijo do seu príncipe.
Eu chego, eu sou o príncipe, eu beijo-o e ele acorda.
Exactamente como na história de encantar.

[todos os dias]

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Ao telefone(II)

com o [mesmo suposto] técnico.

Técnico: "OK, acho que já está"
EU: "Ok, então quais são os dados de acesso"
Técnico: "http://www.xxxxx.com( espaço )user/password"
EU: "Espaço? não pode ter espaço"
Técnico: "pode pode"
EU:" Olhe que não pode"
Técnico: "Pode. ora experimente lá"
(eu faço a experiência sabendo de antemão que vai dar erro e dá)
EU: "Pois... dá erro"
Técnico" ahhh, espere que vou ver... então e por lisboa está a chover?"

[mas ele é técnico informático ou anda a fazer sondagens para o instituto metereológico?]

Ao telefone

com um [suposto] técnico.

Técnico: "O que me pediu já está"
Eu: "ai sim?! que bom!!! então quais são os dados de acesso ao servidor?"
Técnico: "www.xxxx.com"
Eu:"Como???"
Técnico: "www.xxxx.com"
Eu:"mas assim acedo à página"
Técnico: "ah pois é! já lhe torno a ligar"

[fico pasmada a olhar o telefone. Então, mas o que ele me estava a dizer já eu sabia]

Para

o jantar de sábado fiz, crepes de carne e pimento e crepes de peixe com cenoura (para os vegetarianos)
Eramos 9 (mas a A.J. não conta que é muito pequenina). Começamos a comer e ninguém fazia qualquer referência à comida, até que eu resolvo comentar:
- "uhhhhh isto está bom!"

[Já que ninguém gaba, pelo menos gabei eu]

Como

é que se chamam aquelas pessoas que não comem carne?

[está a faltar-me o termo]

Adoro

receber pessoas em minha casa.

A

festa começou na sexta e acabou no domingo.

E hoje ainda estou de ressaca.

[não do que bebi, mas do que trabalhei...]

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Era

um guardanapo, pff.
É para limpar a baba.

[Um parceiro muito importante acaba de fazer rasgados elogios sobre a minha pessoa ao meu chefe. Peço um aumento né??!?!?!?! ]

Conheci

a M. em Setembro passado. Veio para Portugal fazer um estágio. Veio trabalhar directamente comigo. E por aqui foi ficando.
Fui-me habituando à sua presença. À sua simplicidade e simpatia.
Hoje a M. está de volta à sua terra natal, onde a aguardam a família e os amigos.
E eu aqui estou, sempre na esperança de a ver entrar pela porta à mesma hora de sempre.
Nunca pensei que custasse tanto.

[Até qualquer dia M.]

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Sou

uma romântica. E confesso que existem determinadas datas que gosto de comemorar.
Comemoro o dia em que começamos a namorar.
Comemoro o dia do nosso Casamento.
Os dias dos nossos aniversários.
O dia dos namorados.

Não sou consumista, existem presentes que se oferecem que nenhum dinheiro no mundo pode pagar.
Não sou apologista de data e hora marcada para dizer que se ama, até porque, o digo diáriamente, com palavras e gestos.
Porque eu amo [amo-te] todo os dias, não necessito de datas.
Mas, sou romântica, e gosto de comemorar datas especiais.

[Hoje não é o dia para dizer que amo, mas é mais um dia em que digo que amo. Mas é um dia que comemoro]

E

ontem lá fui eu até à Gafanha.
Saímos cedo, chegamos tarde.
Reunião durante o dia inteiro com uma pausa numa marisqueira para almoçar.
Almoço pago pelo cliente.
Muito "Sr. Dr.", "Sr. Engº", "Srª Drª", "Srª Engª"...
Quanto cheguei, ainda vinha com um "tique" na fala. Dizia as palavras muito calmamente, com as letras todas e continuava com a mania de tratar os outros por você.
Felizmente, já passou.

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Gosto

de seguir as coisas segundo um plano.
Aqui, temos um plano de trabalho semanal (se bem que até Março tenho as semanas preenchidas).
Como é lógico, muitas vezes o plano não é cumprido, pois tal como o nome indica é apenas um plano e muitas vezes não se ajusta à realidade, mas na maior parte das vezes, os danos causados pelos "fora do plano" são insignificantes.
Odeio, quando estes, se tornam significantes e vêm de rajada.
E hoje, de uma hora para a outra todo o meu plano mudou significativamente.

[Já estou toda stressada e quaze a caminho da Gafanha da Nazaré]

Se

há 29 anos atrás, este "teu" momento não tivesse acontecido, eu não seria a Mulher feliz que hoje sou.

Parabéns meu amor.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Perdi

a conta ás vezes que fiz aquele bolo.
Ontem, enquanto o colocava na forma, o Gu dizia-me:
"Não achas que o bolo vai sair por fora? A forma não é pequena?
Claro que eu digo que não (baseando-me na minha experiência)

[o forno encheu-se de massa...para a próxima tenho de lhe dar ouvidos]

"Uma

mulher sem um par de cornos é como um jardim sem flores"

Olho para o ser que faz esta afirmação e questiono-o (mentalmente): Onde estará a tua nave?

[Quem será mais extraterreste ele ou eu? Que se lixem as flores, fico com o jardim]

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Entro

na Adolf e Domigues e vejo que, assim de repente, existem lá muitas coisas que me fazem falta....
Conseguia perder a cabeça ali...

[pena ser tão caro!]

Uma

caixa de tremoços em cima da mesa.
Só descanço quando chego ao fim.
Depois da caixa inteirinha, só uma garafa de água (inteira também) de rajada.
Fico com dor de estômago [também não era para menos]

Agora dedico-me à tablete de chocolate [negro com amêndoas]
E não vou resistir.

[Os chocolates são o meu vício]

as conversas com a mulher do meu tio davam uma comédia ou uma tragédia, depende da perspectiva de quem lesse.

O meu tio (III)

(Ainda o meu tio e a minha futura casa)
Escolhemos os arquitectos, são de Lisboa, desconhecidos para ele (facto que o preocupa) e fomos elaborando o projecto (e ainda estamos). Este foi entregue na câmara e até à data ele não o viu (o que lhe está a fazer uma certa confusão). Em conversa telefónica com ele:
ELE: “Olha, os arquitectos têm que colocar nas plantas a casa do vizinho”
EU:”Mas porque?”
ELE:”Então, por causa das janelas”
EU:”Quais janelas?”
ELE:”As janelas viradas para o vizinho?”
EU:”Mas eu não tenho janelas viradas para os vizinhos. São todas para a frente e para trás”
(o que não me faltam são “janelões” e pátios interiores, mas devido ao estilo da casa elas estão sempre viradas na mesma direcção)
O telefonema acaba aqui.


Passados uns minutos liga-me a minha mãe:
Mãe: “oh M. estive a falar com o teu tio e ele diz-me que a tua casa não tem janelas”



Frase desde então: “A casa até é gira, pena é não ter janelas”