quarta-feira, setembro 21, 2005

Para

mim os melhores presentes, não são aqueles com grande valor monetário.
Para mim os melhores presentes são aqueles que simbolizam alguma coisa, são aqueles que vêm do coração.
No meu aniversário o maridão ofereceu-me 3 presentes ditos "normais". Mas ontem chegou a casa e ofereceu-me o melhor de todos os presentes…. Um vídeo CD, intitulado TU, dedicado a mim…. Pois é… um conjunto de fotografias minhas e algumas nossas, com 2 músicas de fundo do Jorge Palma.
Foi ver aquilo e chorar…. Chorar e chorar.
E não me canso de ver…. Vejo e revejo….

Depois de ver este presente maravilhoso, dou comigo a pensar:
“O que quero mais? “
“Não quero mais nada, tenho tudo”
“Sou feliz”

Aqui ficam as letras das músicas que só de as ler novamente, me fazem chorar….



Quem És Tu, de Novo

Quando a janela se fecha e se transforma num ovo
Ou se desfaz em estilhaços de céu azul e magenta
E o meu olhar tem razões que o coração não frequenta
Por favor diz-me quem és tu, de novo?

Quando o teu cheiro me leva às esquinas do vislumbre
E toda a verdade em ti é coisa incerta e tão vasta
Quem sou eu para negar que a tua presença me arrasta?
Quem és tu, na imensidão do deslumbre?

As redes são passageiras, as arquitecturas da fuga
De toda a água que corre, de todo o vento que passa
Quando uma teia se rasga ergo à lua a minha taça
E vejo nascer no espelho mais uma ruga

Quando o tecto se escancara e se confunde com a lua
A apontar-me o caminho melhor do que qualquer estrela
Ninguém me faz duvidar que foste sempre a mais bela
Por favor, diz-me que és alguém, de novo?

Quando a janela se fecha e se transforma num ovo
Ou se desfaz em estilhaços de céu azul e magenta
E o meu olhar tem razões que o coração não frequenta
Por favor diz-me quem és tu, de novo?




Valsa dum homem carente

Se alguma vez te parecer
ouvir coisas sem sentido
não ligues, sou eu a dizer
que quero ficar contigo
e apenas obedeço
com as artes que conheço
ao princípio activo
que rege desde o começo
e mantém o mundo vivo

Se alguma vez me vires fazer
figuras teatrais
dignas dum palhaço pobre
sou eu a dançar a mais nobre
das danças nupciais
vê minhas plumas cardeais
em todo o seu esplendor
sou eu, sou eu, nem mais
a suplicar o teu amor

É a dança mais pungente
mão atrás e outra à frente
valsa de um homem carente
mão atrás e outra à frente
valsa de um homem carente


letras disponíveis em: www.jorgepalma.web.pt

3 comentários:

Anónimo disse...

Quem não tem jeito para estas coisas, recorre a alguém que tenha !?!?!? 123

Cris disse...

Lindo, lindo, lindo!

Gi disse...

Muito bem Gu!