terça-feira, agosto 09, 2005

Casamentos, a cerimonia

Antigamente, achava os casamentos uma seca... principalmente a parte da cerimonia...
1 hora ou mais numa igreja cheia de gente, em pé... até o padre nos mandar sentar... a ouvir um sermão ... enfim.
O que eu gostava mesmo nos casamentos era a parte dos doces...lol...


À medida que fui crescendo, e à medida que os noivos me começavam a dizer alguma coisa, a minha opinião começou a modificar-se.

Há uns tempos fui a um casamento de uma amiga, cujo casamento religioso pertencia a outra igreja que não a católica, onde a noiva tinha de dizer: "Prometo ser fiel" e o noivo :"Prometo cuidar de ti e sustentar-te"... Ora, era o meu 1º casamento naquela religião e fiquei de boca aberta... ainda eram estas frases machistas que se diziam como promessas de amor eterno...Pensei a Igreja Católica, pensa da mesma forma, mas não põe as pessoas a dizer isto...(Guardem isto em mente,mais há frente explico)

Bom quando casei, tive a sorte de poder escolher tudo o que iria ser dito na cerimónia, deste leituras, canticos, e homilia do próprio padre... Tudo graças ao padre maravilhoso que é o Pe X. ... Padre que pertence à familia (primo da minha sogra), que já casou os meus sogros, baptizou o meu maridão etc... A forma como planiei aquela cerimonia foi bastante intensa, escolhi tudo ao pormenor, etc... bom o que quero dizer com isto é que hoje em dia gosto de um casamento cheio de amor e mensagens positivas, cheio de vida e emoção...
Ultimamente, tenho tido muuuuuiiiiiitos casamentos, e tenho tido a sorte de assistir a grandes cerimonias, cheias de emoção, onde as lagrimas e os sorisos se juntam numa só expressão... Nessas cerimónias consigo ouvir e guardar todas as palavras que são ditas. Quando isto não acontece, parece que não assisti a casamento nenhum...
No Fim de semana passado fui a um casamento, a cerimonia durou cerca de 30 minutos, onde ouvimos os noivos dizerem "sim"... e também ouvimos outra coisa, (agora é que isto tem a ver com o casamento que descrevi há pouco), Qual não é o meu espanto, quando vejo uma criança com uma idade compreendida entre os 7 e os 9 anos fazer a segunda leitura, onde o texto que ele lia dizia o seguinte: "... Mulheres, sede submissas a vossos maridos. Maridos respeitai as vossas mulheres"... Pois bem, aqui está a prova, afinal não era só na outra igreja... fiquei tão indignada com aquilo (Uma criança, um menino com 7-9 anos...) que não consegui e disse em "voz um bocadinho mais alta" "Isto é que não tinha necessidade de ser dito", claro que depois logo ouvi qq coisa... mas que agora não vem ao caso.

Aquilo ficou-me mesmo guardado, e ainda fui perguntar quem escolheu aquilo, porque não estava a ver pessoas com 25 anos escolher aquilo... e descobri que foi o padre. Foi o padre que escolheu tudo...
Pensei, Tive mesmo muita sorte com o Padre que me casou...

3 comentários:

Xana disse...

Confesso que os casamentos no religioso não me dizem muito, pq o religioso não me diz muito e gosto de ser coerente nas minhas atitudes.

Também não me imagino com um vestido branco, nem a desfilar de braço dado com o M., nem a tirar milhentas fotos com convidados, nem a almoçar num sitio com pratos escolhidos e bolo de noiva.

O meu casamento ideial é bem diferente, muito mais informal e espero concretizá-lo daqui a 2 anos, quando puder ir 1 mês para a Nova Zelândia de lua de mel. (E os filhotinhos nos avós)

No entanto respeito as crenças ou gostos dos outros.

E adorei o teu casamento e do Hugo, não só porque são pessoas que me dizem muito, como porque a cerimónia foi bonita e vocês estavam muito felizes. E a tua família, e a dele. E os amigos. :)
Todos felizes.

Foi um dia muito bonito.

Eu disse...

Xana:
Obrigado
Eu também gostei muito... lol...

ps- também respeito as crenças dos outros, cada um tem o direito de ter o casamento que deseja... mas este que comentei aqui, eles não tiveram a oportunidade de escolher nada, percebes? é isso que acho injusto...

Cris disse...

Não te lembraste de tudo......o noivo tinha a obrigação de possuir a noiva e a noiva tinha a obrigação de ser possuída! Não era uma coisa assim? Muito mas muito escandaloso! Lembro-me perfeitamente que comentámos, ficámos pasmas e fartamo-nos de rir a seguir! (mas só a seguir, porque na altura ficámos escandalizadas)